O equilíbrio emocional e racional

Reprodução

Em toda a nossa trajetória, seja ela estudantil ou profissional, sempre ouvimos que devemos ser racionais em momentos de tomada de decisão. Quantas vezes já não ouvimos: “Ah, você deve ser menos emocional” ou “Não deixe seu coração tomar o controle”. Entretanto, são falas jogadas ao vazio, onde não ensinam a como equilibrar a razão e a emoção.

De uma maneira lúdica e objetiva preste atenção nos detalhes que a Dr. Psicanalista Natthalia Paccola explica sobre a importância do equilíbrio entre a razão e emoção.

“Imagine  um cavalo, o cavalo é a EMOÇÃO, ele vai a frente dos nossos sentimentos e influencia o agir de forma ilógica, intempestiva, sem pensar, sem medir as consequências.
Agora vamos colocar uma carroça – o peso da carroça é que segura o cavalinho – RAZÃO. É a parte dos nossos sentimentos que nos faz usar a lógica e a ponderação ao nos avaliar e avaliar as situações e os fatos.
Mas o que acontece se esse cavalo estiver carregando uma carroça leve, muito leve, e o deixarem seguir livre o caminho. Você acredita que ele chegará ao seu objetivo?Pense nas pessoas que dizem para você, com todo amor do mundo e com toda ingenuidade também: “querida, siga a voz do seu coração” ou “mete a cara, você não tem nada a perder”. E o cavalo sai desembestado sem saber onde precisa chegar, apenas sentindo a emoção.
Agora imagine essa carroça cheia de razão, cheinha, é tanta razão que o cavalo nem consegue sair do lugar, o peso é tamanho que a carroça não sai do lugar. E o cavalo empaca.

Agora veja seu objetivo logo ali na frente.

O que é preciso para que este cavalo chegue até o destino que tanto deseja?
Pense: quem está faltando nesse desenho?

Falta você, o ego. Aquele que sente, mas também avalia. Olhe na sua carroça e sinta o peso da razão que está disposto a carregar e então, arregace as mangas, assuma o controle desse cavalo que carrega conhecimento agregado em todos os seus anos de vida e siga. Vá em direção ao seu objetivo e quando chegar nele já será hora de desfrutar da conquista e alçar outros planos, novas metas, com a sabedoria de quem detém o equilíbrio entre razão e emoção.”


Ah! Aqui encontramos algo valioso: Precisamos dos três componentes e não simplesmente descartar alguma opção.
O cavalo (emoção) precisa da carroça, a carroça (razão) precisa do cavalo para se locomover e você precisa guiar o cavalo para alcançar os objetivos.

Somos seres complexos que contêm dentro de si diversas variáveis e dimensões que modelos muito simplistas não serão capazes de compreender. Porém, compreendendo que é necessário analisar cada etapa, cada sentimento e cada caminho para seguir, afinal os três em harmonia geram grandes resultados.

Se pensarmos que sempre deve haver um vitorioso, ou o cavalo, ou a carroça ou você em todo o caminho, estamos indo para um lado perigoso, o da não aceitação, não se reconhecendo, não racionando e não compreendendo os seus próprios sentimentos. Nem tudo que existe na vida precisa ser feito de uma só maneira. Além do mais, com o passar do tempo, a experiência facilita muitas decisões. Isso porque, na maioria das ocasiões da vida, aprendemos quando colocamos em prática. Assim, uma das chaves para o sucesso encontra-se no equilíbrio inteligente entre razão x emoção x eu.

Como vimos, esse equilíbrio de razão x emoção x eu, é o resultado da experiência de vida de cada pessoa e, portanto, de muitos erros aprendidos, já que em algum momento um dos três tomou a liderança.

É provável que a primeira decisão inteligente que podemos tomar seja a de parar de encarar a razão x emoção como inimigos e o próprio eu também, já que em muitos momentos somos hostis com nós mesmos, lembrando que tudo faz parte da cadeia “alimentar” das escolhas. Isto porque todos são complementares: a razão emocional, a emoção inteligente e o eu dando o ponto final.

Muitas vezes, nossas escolhas são baseadas em: confortável x desagradável. E sempre queremos ir para o mais seguro e confortável, mas, o desagrdável também precisa ser experimentado e isso acontece quando estamos buscando o equilíbrio, até porque nem sempre acertamos. Se arriscar é plausível.

Já que aprendeu a harmonia entre os três complementares, lembre-se: sempre reflita e visualize quem tem tomado a frente, até entender qual o melhor caminho para que todos estejam concordando entre si. As respostas estão em você, basta enfrentar cada obstáculo e se permitir vivenciar novas experiências.

Somente errando e acertando que encontraremos a resposta que soluciona o problema. Se concentre e não desista de continuar buscando pelo equilíbrio!

Últimas