Ser ou ter

Reprodução

No decorrer dos dias, tudo gira em torno do ter. É errado? De forma alguma, mas cada vez mais o íntimo, o investir em si mesmo está sendo deixado de lado. O que é grave, afinal interfere no desenvolvimento da sociedade em um todo, onde o outro já não importa mais, os sentimentos já não fazem mais sentido. O bem material passa a dizer quem as pessoas são e infringem diretamente no caráter do ser humano.

Os anos vão passando, quando nos damos conta, esquecemos do mais importante: a felicidade! A felicidade não se compra, muitas vezes colocamos toda a nossa expectativa em um bem e quando finalmente o conquistamos, passa tão rápido quanto abrir o embrulho. As pessoas precisam parar de correr atrás do Ter e começar a correr atrás do SER: Ser Amigo, Ser Amado, Ser humano.

Um embrulho é facilmente descartado, algo material perde o encanto facilmente, em pouco tempo já é ultrapassado por uma nova tecnologia, mas tudo isso é mantido e criado por nós e não podemos deixar que máquinas comandem a nossa vida. Viver em uma busca incessante de ter os novos lançamentos, ter o melhor carro, a melhor casa, o melhor celular e todas essas coisas não nos faz SER.

O ser é muito relativo, mas há uma certeza: O ser é o consumo diário de conhecimento sobre si mesmo.

Visualize alguns pontos abaixo:

1- O SER é uma constância de aprendizados que dura uma vida inteira, o ter é passageiro;

2- O SER não se acaba e nem se perde com o tempo, mas o ter quebra, acaba, desgasta, é ultrapassado.

3- O SER é eterno, na sua consciência e nas memórias que foram criadas com as pessoas ao seu redor, o ter é substituível.

E então o vazio toma conta da vida das pessoas…

Por isso o ser é de suma importância, afinal você sempre será memorável, seja pelas coisas boas ou ruins. O ter gera ganância e atrito. Você deve parar de consumir ou de desejar algo? Não! Mas não deixe que o material guie a sua vida, que a sua felicidade se baseie em fragilidades.

Hoje é um recomeço, se até ontem se frustrou colocando as suas expectativas em bens, ouse mudar!

Pare para pensar: O que as pessoas mais valorizam em suas vidas?

Se é certo que cada pessoa sente e valoriza objetos diferentes, também é certo que tais escolhas e valores são marcados culturalmente, pela época e lugar em que se vive e pela sociedade a se faz integrante.

O discurso de ter sempre foi e sempre será propagado, as pessoas precisam do ciclo do consumo para que o dinheiro continue sendo rotativo. Ter propriedades, posses, mercadorias, dinheiro, status, poder. Ter carro do ano, roupa de grife, o celular mais moderno. O trabalho bem remunerado é mais valorizado que o trabalho que traz satisfação, afinal, trabalho deve proporcionar ao indivíduo meios para ter e não para tornar-se o que se é.

E com toda essa gama de informações sendo repassadas dia após dia, a sociedade atual é marcada cada vez mais pelo individualismo. TENHA, COMPRE, COMA, BEBA, CONSUMA! Que se esquece quem somos, o que realmente queremos, o que realmente precisamos, afinal tudo tem uma influência, seja vindo da televisão, do outdoor ou na rolagem do seu Feed.

Querendo ou não, só não enxerga quem não quer, ou quem aprendeu a valorizar apenas o dinheiro. É triste, não valorizarem mais o ser pensante que somos, mas sim o nosso poder de compra. Viver mantendo um status, vivendo a vaidade adoidado, só escutando o que lhe agrada e se fechando em si mesmo. Só pensar em possuir, acumular mesmo que não entendendo o propósito ou finalidade de tais objetos. E pensar que mesmo tendo cargos de ocupação útil, que toda a busca pelo ter, te absorve até não conseguir enxergar a vida passar, sem entender, sem sentir o que se passa ao seu redor. Triste, muito triste! É isso que focar no ter te transforma. O que é totalmente diferente do ser.

É incrível como damos importância para coisas que nos cegam e nos leva à solidão, ainda que em meio a centenas de pessoas, o vazio seja existente.

Deveríamos constantemente lançar um olhar de estranhamento sobre nós mesmos. Desta forma, conseguimos enxergar que estamos valorizando exageradamente coisas que são inúteis. E esses valores invertidos nos faz aceitar atitudes, falas, objetivos que não estão de acordo com os nossos reais valores, e que por fim, nos adoecem; possuindo objetos, sentimentos, relações que já não sabemos mais para que nos servirão; mantendo as aparências para preservar um status que já não nos cabe mais.

Alguém que se aliena de si mesmo facilmente substitui o Ser pelo Ter, e em lugar de afetos, vivências, relações, falseia a própria existência, construindo a falsa sensação de estar vivendo. O Ter saudável só se dá quando é reflexo de um Ser que se reconhece, de um Ser autêntico. Uma vida edificada sobre um Ser alienado produz aprisionamento, e a angústia que não é elaborada produz adoecimento.

O reconhecimento da própria identidade é um processo árduo, muitas vezes doloroso, mas ao fim libertador, pois, a única verdade capaz de transformar é aquela que revela o que está encoberto dentro de nós mesmos.

A questão do ter ou ser é algo que ecoa pelas gerações. Dentro das religiões esse tema é muito debatido, afinal, as nossas vaidades refletem no que queremos ser e os dois andam em uma linha tênue.

O mundo da religião é vasto, tem para todo o tipo de gosto. Voltando para as mais conhecidas aqui no Brasil, que são: Católica, Evangelho, Espiritismo e Umbanda, o que elas têm em comum? Para sermos pessoas melhores precisamos nos desvincular do TER para SER.

“A principal missão do homem é dar luz a si mesmo e tornar-se aquilo que ele é potencialmente”. Erich Fromm.

Não adianta carro do ano, celular de última geração, ter terras, empresas, jóias, roupas de marca… Se o seu ser estar corrompido, o ser não pode ser substituído pelo ter, por isso as palavras de motivação dentro desses cultos são diretos sobre a mudança interior, para que reflita no exterior.

O ter corrompe sim o ser, afinal toda a sua conexão está voltada ao bem e não a si, as suas atitudes e ao próximo.

Tudo deve ser ponderado, podemos desejar ter algo, mas que isso não nos impeça de ter conexões reais!

Portanto, seja feliz agora, independentemente de onde você more, independente do que conquistou, independente se vai demorar ou não para conquistar seu objetivo. Dê o seu melhor hoje, não espere a sua juventude passar ou a sua motivação ser esquecida

Ninguém pode dizer o que é melhor pra você, o caminho é só seu!

Eu posso não te convencer que nesse mundo passageiro, as memórias que deixamos, o amor que transpassamos, a bondade que fazemos, seja melhor do que qualquer bem material que tenhamos. Que o parar para se entender, se questionar e se conhecer seja melhor do que comprar uma mansão de um milhão de reais.

Ser feliz não é questão de sorte, é a escolha entre ser ou ter. E você pode conquistar tudo se entender quem és, a sua capacidade, habilidades e valores.

Não canse de viver, a sua mudança gera mudanças na vida de outras pessoas! Você é essencial nessa jornada na terra, independente das diferenças, e todas as crises que vêm ao ir contra o senso comum, busque a bondade, ser melhor para si e para a sociedade.

Tenha foco! Deixe o ego que te cega e viva uma vida livre de culpa ou remorso. Você não precisa correr atrás de uma felicidade, você só precisa ser feliz com o que tem hoje e não te martirizar caso algo não saia como planejado.

A mudança começa de dentro para você. Inicie-a.

Últimas