Luiz Fara Monteiro Aerolíneas Argentinas terá voos entre Ushuaia e São Paulo

Aerolíneas Argentinas terá voos entre Ushuaia e São Paulo

Entre julho e agosto, companhia oferecerá mais de 20.000 assentos em 126 voos semanais entre Argentina e Brasil

Aerolineas Argentinas: voo entre Ushuaia e São Paulo (GRU)

Aerolineas Argentinas: voo entre Ushuaia e São Paulo (GRU)

Matias 18 - Wikimedia Commons

A Aerolíneas Argentinas operará voos diretos entre Ushuaia (USH) e São Paulo (GRU) durante os meses de pico da temporada de inverno, para atender a demanda de turistas brasileiros que visitam destinos de neve na Argentina.

A operação terá frequência de dois voos semanais, às segundas e sextas-feiras, e será realizada em aeronaves Boeing 737-800 com capacidade para 170 passageiros. Segundo o Aviacionline, as rotas vão ocorrer entre julho e agosto.

O vôo sairá de São Paulo à 1h10 para chegar a Ushuaia às 8h00, com escala no aeroporto de Ezeiza em Buenos Aires (sem mudança de avião ou conexão). No sentido contrário, sai às 22h10 da capital Tierra del Fuego para chegar ao aeroporto de Guarulhos às 4h45.

Graças ao acordo de código compartilhado com a GOL, são oferecidas conexões por São Paulo de e para as principais cidades do Brasil.

A aposta desta empresa no turismo receptivo faz parte da sua reinserção no mercado brasileiro, onde já retomou os voos para Curitiba, Porto Alegre e Brasília durante o último mês.

Por outro lado, em julho também começará a ligar São Paulo (GRU) a Salta e Bariloche com quatro e três voos semanais, respectivamente.

Assim, em julho, Aerolineas Argentinas oferecerá mais de 20.000 assentos em 126 voos semanais entre Argentina e Brasil.

“Estamos fazendo uma aposta muito grande para desenvolver o turismo receptivo, principalmente do Brasil. Já anunciamos os voos de San Pablo para Salta e Bariloche e agora incluímos Ushuaia neste esquema de rotas que visa aumentar a oferta para a alta temporada de inverno”, disse Pablo Ceriani, presidente da Aerolíneas Argentinas.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas