Aeroporto alerta para o "golpe da encomenda"

Criminosos utilizam ligações telefônicas e aplicativo de mensagens e citam até a Receita Federal

Terminal do Aeroporto de Brasília

Terminal do Aeroporto de Brasília

Luiz Fara Monteiro

Para quem acha que a criatividade dos criminosos não tem fim, eis aqui outro bom argumento:

A Inframerica, administradora do Aeroporto de Brasília, alerta a população sobre golpes que estão sendo aplicados utilizando o nome do Terminal de Cargas e da Alfândega da Receita Federal.

De acordo com a concessionária, os fatos se tornaram conhecidos depois que diversas pessoas caíram ou desconfiaram da armadilha e divulgaram as ocorrências.

Segundo relatos, na maioria das vezes os golpes são aplicados por meio de uma ligação telefônica e depois tem continuidade pelo aplicativo WhatsApp. Algumas vítimas contaram terem recebido uma mensagem ou ligação informando que havia uma encomenda vinda do exterior e até dinheiro em forma de presente com os dados delas como destinatário, mas que estava retida pela Alfândega da Receita Federal. Para liberá-la seria necessário o pagamento de uma determinada quantia. Pelo aplicativo de mensagem, os golpistas criam um contato comercial e as logomarcas oficiais da Inframerica, do Aeroporto de Brasília ou da Receita Federal no perfil.

A Inframérica explica que em outros casos relatados, o contato com as vítimas é mais longo. Os golpistas criam personalidades falsas de pessoas que moram no exterior e por meio da sedução, criam um laço de confiança com as vítimas que acreditam estarem conversando com pessoas reais. Depois de um tempo de "relacionamento", a vítima é informada pelo golpista que receberá uma encomenda, mas ela fica retida na Receita Federal, e é necessário pagar um valor para liberá-la.

Segundo as vítimas, os valores para a liberação da encomenda são sempre acima de R$ 1000 reais e as formas de pagamento são combinadas com a suposta Receita Federal ou Terminal de Cargas pelo WhatsApp fake.

Para alertar a população, a Inframerica divulgou sobre o caso nas redes sociais, site e contatou a imprensa para ajudar na divulgação.

A administradora do aeroporto reforça que o Terminal de cargas e a Alfândega da Receita Federal não entram em contato por telefone ou aplicativo de mensagem para avisar sobre retirada de mercadorias. E não cobra antecipadamente pela entrega posterior de eventuais produtos.

Últimas