Luiz Fara Monteiro África do Sul suspende voos da British Airways e Kulula por segurança

África do Sul suspende voos da British Airways e Kulula por segurança

Série de incidentes nas últimas semanas levaram o órgão regulador sul-africano a proibir voos das duas companhias neste sábado

Kulula: aviões proibidos de voar

Kulula: aviões proibidos de voar

G B_NZ - Wikimedia Commons

Uma série de panes em voos da Kulula e British Airways, noticiadas pelo Blog nos últimos dias levou a Autoridade de Aviaçãi Civil da África do Sul (CAA) a proibir aviões das duas companhias, ligadas à Comair, a operarem neste fim de semana.

A Comair Limited é uma companhia aérea com sede na África do Sul que opera serviços regulares em rotas domésticas como franqueado da British Airways e membro afiliado da aliança de companhias aéreas Oneworld ). Também opera como operadora de baixo custo sob sua própria marca kulula.com . Sua base principal é o Aeroporto Internacional O.R. Tambo , em Johanesburgo.

Em um breve comunicado, a Comair disse que seus voos da British Airways e Kulula foram afetados. Três dos aviões da empresa estiveram envolvidos em emergências no ar no último mês.

“Nossa equipe executiva está se envolvendo com a CAA com urgência. A Comair acredita que não há justificativa para a suspensão [dos voos]”, disse a empresa por meio de um comunicado.

O Times Live retransmitiu a posição da Comair em reportagem neste sábado.

“Todos os passageiros reservados para sábado, 12 de março, são aconselhados a não seguir para o aeroporto, a menos que você possa fazer uma reserva em uma transportadora alternativa.

“A Comair lamenta profundamente o inconveniente causado e estamos fazendo o possível para restaurar nossas operações o mais rápido possível.”

A empresa disse que fornecerá atualizações assim que estiverem disponíveis.

Este incidente ocorre duas semanas depois que um jato da British Airways foi forçado a fazer um pouso de emergência devido a uma falha técnica logo após deixar o leste de Londres para Joanesburgo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas