Luiz Fara Monteiro 'Clandestinos', quatro gatinhos são descobertos a bordo de um 747

'Clandestinos', quatro gatinhos são descobertos a bordo de um 747

Funcionários da Singapore Airlines não sabem como animais foram parar no Jumbo. Pets serão encaminhados para adoção após quarentena.

Clandestinos a bordo: gatinhos são encontrados em Boeing 747

Clandestinos a bordo: gatinhos são encontrados em Boeing 747

The Standard

Elementos clandestinos embarcaram sorrateiramente em um "Jumbo" cargueiro que cumpriu o trajeto entre Singapura e Hong Kong.

Até o momento os funcionários coçam a cabeça e não entendem como eles acessaram a enorme aeronave. 

Os "intrusos" são quatro gatinhos, dois pretos e dois brancos, que foram descobertos no compartimento do avião. 

 Os felinos serão postos para adoção após o término da quarentena.

Por volta das 21h de sábado, a polícia recebeu um relatório de um funcionário da Singapore Airlines de que quatro gatinhos foram encontrados em um avião de carga operado pela companhia, que havia chegado a Hong Kong horas antes.

Segundo o The Standard, de Hong Kong, a polícia notificou o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação (AFCD) para acompanhamento.

O AFCD matou animais que não foram postos em quarentena no passado, o que causou preocupação entre os grupos de proteção animal.

Os voluntários lançaram uma campanha de abaixo-assinado nas redes sociais, instando o departamento a salvar os animais.

Gatinhos intrusos descobertos no 747

Gatinhos intrusos descobertos no 747

The Standard

"Embora os quatro gatinhos não tenham sido postos em quarentena, Singapura não é uma área afetada pela raiva. O AFCD pode dar os quatro gatos a grupos de proteção animal para providenciar a adoção após a quarentena", disseram os voluntários.

O departamento disse que os exames iniciais revelaram que os quatro gatos estavam bem de saúde e que um exame veterinário seria agendado posteriormente.

Eles agora estão em quarentena e sob cuidados da equipe do AFCD, de acordo com os requisitos de avaliação de risco da raiva.

"Após a conclusão da quarentena e investigação, a adoção será coordenada por organizações parceiras de bem-estar animal de acordo com a condição dos gatos", disse o AFCD.

Últimas