Luiz Fara Monteiro Demanda por carga aérea aumenta 10,8% em dezembro, fechando 2023 perto dos níveis de 2022

Demanda por carga aérea aumenta 10,8% em dezembro, fechando 2023 perto dos níveis de 2022

 Associação do Transporte Aéreo Internacional indica que a demanda por carga aérea se recuperou em 2023, com um desempenho particularmente forte no quarto trimestre, apesar das incertezas econômicas

IATA: Demanda por carga aérea aumenta 10,8% em dezembro
IATA: Demanda por carga aérea aumenta 10,8% em dezembro Lucas Batista @pilotlucas

A Associação do Transporte Aéreo Internacional (IATA) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga, indicando que a demanda por carga aérea se recuperou em 2023, com um desempenho particularmente forte no quarto trimestre, apesar das incertezas econômicas. O nível da demanda anual ficou um pouco abaixo dos níveis de 2022 e 2019.

A demanda anual global em 2023, medida em toneladas de carga por quilômetro (CTKs), caiu 1,9% em comparação com 2022 (-2,2% nas operações internacionais). Em comparação com 2019, a queda foi de 3,6% (-3,8 nas operações internacionais).

A capacidade, medida em toneladas de carga disponível por quilômetro (ACTKs), aumentou 11,3% em relação a 2022 (+9,6% nas operações internacionais). Em comparação com 2019 (nível pré-COVID), a capacidade subiu 2,5% (0,0% nas operações internacionais).

Dezembro de 2023 registrou um desempenho excepcionalmente forte: a demanda global ficou 10,8% acima dos níveis de 2022 (+11,5% nas operações internacionais). Este foi o maior crescimento anual nos últimos dois anos. A capacidade global ficou 13,6% acima dos níveis de 2022 (+14,1% nas operações internacionais).

Alguns indicadores devem ser destacados:

O comércio internacional global registrou crescimento pelo terceiro mês consecutivo em outubro, revertendo a tendência de queda relatada anteriormente. A inflação de dezembro nos Estados Unidos e na União Europeia, medida pelos correspondentes Índices de Preços ao Consumidor (IPC), ficou abaixo de 3,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Porém, o IPC da China indicou deflação pelo terceiro mês consecutivo, causando preocupações de uma desaceleração econômica.

Tanto o índice PMI de manufatura como o PMI de novos pedidos de exportação – dois indicadores importantes da demanda por carga aérea global – continuaram abaixo de 50 em dezembro, nível que indica contração.

“Apesar dos desafios políticos e econômicos, em 2023 os mercados de carga aérea recuperaram o terreno perdido em 2022 após o pico extraordinário durante a COVID em 2021. Embora a demanda anual tenha apresentado queda de 3,6% em relação aos níveis pré-COVID, o fortalecimento significativo no último trimestre é um sinal de que os mercados estão se estabilizando e voltando a padrões de demanda mais normais. Isso coloca o setor em uma situação muito sólida para o sucesso em 2024. Mas com a instabilidade contínua, e, em alguns casos, mais intensa na geopolítica e em certos aspectos econômicos, pouco podemos garantir para os próximos meses no setor”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Desempenho por região em 2023

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram aumento de 0,9% na demanda em 2023 em comparação com 2022 (-1,4% nas operações internacionais) e um crescimento de 28,5% na capacidade (+16,6% nas operações internacionais). Em dezembro, as companhias aéreas da região registraram o melhor desempenho entre todas as regiões, com aumento de 18,5% na demanda (+15,4% nas operações internacionais) em relação a 2022. A capacidade cresceu 31,1% (+22,9% nas operações internacionais) durante o mesmo período.

As transportadoras da América do Norte apresentaram o pior desempenho entre todas as regiões no transporte aéreo de carga em 2023 em relação ao ano anterior, com queda de 5,7% na demanda em 2023 versus 2022 (-4,3% nas operações internacionais) e aumento de 0,3% na capacidade (+2,7% nas operações internacionais). Em dezembro, as companhias aéreas da região relataram um crescimento de 2,0% na demanda (+5,9% nas operações internacionais), em comparação com 2022. A capacidade aumentou 2,4% (+8,5% nas operações internacionais) durante o mesmo período.

As transportadoras da Europa registraram queda de 3,9% na demanda em 2023 versus 2022 (-4,1% nas operações internacionais). No mesmo período, as companhias aéreas registraram aumento de 4,5% na capacidade em suas operações globais e internacionais. Em dezembro, as companhias aéreas da região apresentaram aumento de 8,6% na demanda (+8,7% nas operações internacionais) em relação a 2022. A capacidade cresceu 7,4% (+7,5% nas operações internacionais) durante o mesmo período. As companhias aéreas da região continuaram as mais afetadas pela guerra na Ucrânia.

As transportadoras do Oriente Médio apresentaram aumento de 1,6% na demanda global e internacional em 2023 em comparação com 2022 e incremento de 13,5% na capacidade (+13,6% nas operações internacionais). Em dezembro, as companhias aéreas da região registraram aumento de 18,3% na demanda global e internacional em comparação com 2022. A capacidade cresceu 17,7% (+17,8% nas operações internacionais) durante o mesmo período.

As transportadoras da América Latina registraram o melhor desempenho anual entre todas as regiões, com aumento de 2,0% na demanda em 2023 em comparação com 2022 (+1,9% nas operações internacionais). No mesmo período, as companhias aéreas apresentaram crescimento de 13,2% na capacidade (+16,9% nas operações internacionais). Em dezembro, as companhias aéreas da região registraram aumento de 6,4% na demanda (+6,3% nas operações internacionais) em relação a 2022. A capacidade subiu 3,5% (+4,2% nas operações internacionais) durante o mesmo período.

As companhias aéreas da África apresentaram queda de 1,8% na demanda (-2,0% nas operações internacionais) em 2023 em relação a 2022 e aumento de 5,6% na capacidade (+5,0% nas operações internacionais). Em dezembro, as companhias aéreas da região apresentaram o menor desempenho entre todas as regiões, com redução de 1,2% na demanda (-1,4% nas operações internacionais) em comparação com 2022. A capacidade subiu 7,4% (+6,8% nas operações internacionais) durante o mesmo período.

Problemas no Mar Vermelho

Em novembro e dezembro, o transporte aéreo de carga registrou aumento modesto na demanda e nos rendimentos devido aos problemas no Mar Vermelho*. Os seguintes dados foram observados ao comparar o período que começou em 4 de novembro de 2023 e terminou em 9 de dezembro de 2023:

- Aumento de 1% na demanda por carga aérea global, além de aumento de 5% nos yields;
na região Ásia-Pacífico, a demanda subiu 2% e 6% nos yields;

- Aumento de 1% na demanda entre a China e o restante do mundo e aumento de 11% nos yields;

- A demanda na Europa permaneceu estável, mas os yields aumentaram 3%;
no Oriente Médio, a demanda permaneceu constante, com aumento de 4% nos yields.
Os dados da última quinzena de dezembro mostraram normalização da demanda e dos yields.

“A recente interrupção das rotas marítimas no Mar Vermelho fez com que alguns despachantes recorressem ao transporte aéreo de carga. O aumento da demanda resultou em maiores yields da carga aérea nas rotas comerciais relacionadas. Um aumento semelhante é esperado em janeiro, com a intensificação dos problemas na região. Embora nem toda carga seja adequada para o transporte aéreo, esta é uma opção fundamental para alguns dos envios mais urgentes em circunstâncias extraordinárias. E isso é essencial para garantir a continuidade da economia global, disse Walsh.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas