Luiz Fara Monteiro Dólar caro no Brasil não impede alta procura por viagens aos EUA 

Dólar caro no Brasil não impede alta procura por viagens aos EUA 

Latam tem 85% de ocupação em voos para os EUA em novembro. Buscas no site da companhia cresceram 300% após anúncio de reabertura por americanos

Boeing 777 da Latam: voos cheios para os EUA em novembro

Boeing 777 da Latam: voos cheios para os EUA em novembro

William Alves

O dólar fechou nesta sexta-feira (29) a R$ 5,646. Mas a cotação altíssima dos últimos meses parece não ter força para desanimar turistas a viajar para os Estados Unidos. 

A recente reabertura dos Estados Unidos para viajantes brasileiros vacinados fez a demanda de viagens para o país explodir. Segundo a LATAM, após o anúncio a busca por passagens para destinos norte-americanos cresceu mais de 300%. Além disso, a expectativa de ocupação das aeronaves da companhia para os voos Brasil-EUA já é de 85% para o mês de novembro, quando serão operados 4 voos semanais entre São Paulo/Guarulhos e Miami e outros 3 entre São Paulo/Guarulhos e Nova York/JFK.

Ainda de acordo com a companhia, a demanda deve crescer ainda mais no fim do ano. O que levou a empresa a retomar a partir de dezembro a operação entre São Paulo - Guarulhos e Orlando em 3 voos semanais, além de tornar diários os voos de São Paulo/Guarulhos para Miami e Nova York/JFK.

Atualmente, a LATAM já retomou a operação de voos do Brasil para 16 destinos internacionais a partir de São Paulo/Guarulhos. São eles: Santiago (11 voos por semana), Assunção (5 voos por semana), Bogotá (3 voos por semana), Buenos Aires/Ezeiza (6 voos por semana), Buenos Aires/Aeroparque (3 voos por semana), Mendoza (1 voo por semana), Lima (7 voos por semana), Montevidéu (4 voos por semana), Cancun (2 voos por semana), Cidade do México (7 voos por semana), Frankfurt (3 voos por semana), Lisboa (4 voos por semana), Madri (4 voos por semana), Paris (4 voos por semana), Miami (3 voos por semana) e Nova York (3 voos por semana).

A orientação é para que os passageiros consultem as regras dos países, inclusive daqueles abertos a brasileiros vacinados, além da central de informações da International Air Transport Association (IATA)

A companhia garante que segue reforçando as medidas de segurança e higiene em toda a sua operação e obedecendo os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias dos países onde atua. Em todos os voos é obrigatório o uso de máscara durante toda a viagem.

A confiança no controle da pandemia tem feito as companhias em todo o mundo a retomarem  investimentos. Mais cedo, o blog anunciou a decisão da Eastern Airlines de iniciar em 2022 voos entre Miami e Nova Iorque a Belo Horizonte, a partir de março e junho, respectivamente. 

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas