Luiz Fara Monteiro Greve em aeroportos alemães atinge quase 300 mil passageiros

Greve em aeroportos alemães atinge quase 300 mil passageiros

Paralisação coincidiu com o início da Conferência de Segurança de Munique , com a presença esperada de mais de 40 chefes de estado e 60 ministros

Greve: quase 300 mil pessoas afetadas em aeroportos da Alemanha

Greve: quase 300 mil pessoas afetadas em aeroportos da Alemanha

Wikimedia Commons

A greve de 24 horas em sete aeroportos alemães, incluindo Frankfurt e Munique, afetou quase 300 mil passageiros nesta sexta-feira (17), enquanto trabalhadores sindicalizados pressionam por salários mais altos e ameaçam um verão de "caos" se seus demandas não foram atendidas.

A greve coincidiu com o início da Conferência de Segurança de Munique , com a presença esperada de mais de 40 chefes de estado e 60 ministros.

Em um sinal precoce da interrupção, o ministro das Relações Exteriores da Romênia, incapaz de embarcar em um voo cancelado, foi forçado a voar para a Áustria e depois fazer a viagem de mais de quatro horas até Munique, disse um funcionário da embaixada romena.

É a mais recente de uma série de greves e protestos que atingiram as principais economias europeias, incluindo França, Grã-Bretanha e Espanha, à medida que os preços mais altos de alimentos e energia afetaram a renda e os padrões de vida após a pandemia e a guerra na Ucrânia.

Cerca de 295.000 passageiros são afetados pelo cancelamento de cerca de 2.340 voos nos aeroportos de Bremen, Dortmund, Frankfurt, Hamburgo, Hanover, Munique e Stuttgart, de acordo com a associação de aeroportos ADV.

“Realmente não tivemos tal escalada por meio de greve”, disse Ralph Beisel, da ADV, à emissora Bayerischer Rundfunk. “Quando olhamos para os terminais do aeroporto esta manhã, isso nos lembra mais dos piores dias do coronavírus e menos de um aviso”.

O sindicato alemão Verdi anunciou a greve na quarta-feira depois de dizer que os esforços de negociação coletiva para funcionários de serviços terrestres, funcionários do setor público e trabalhadores de segurança da aviação tiveram pouco progresso.

O sindicato pressionou por um aumento salarial de 10,5%, ou pelo menos 500 euros por mês.

"Se nada for feito sobre o pagamento agora, todos teremos outro verão caótico", disse a vice-presidente do Verdi, Christine Behle, ao Inforadio na sexta-feira. "Trata-se de enviar um sinal muito forte."

Entre as companhias aéreas afetadas, a Lufthansa disse que foi forçada a cancelar mais de 1.300 voos e suspender as operações nos aeroportos centrais de Frankfurt e Munique na sexta-feira.

Segundo reportagem da Reuters, a transportadora se recusou a dar uma estimativa do custo da greve, mas em ocasiões anteriores disse que tal ação custa de 10 a 15 milhões de euros por dia.

O chefe do Verdi, Frank Werneke, disse ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung que a greve pode se expandir para hospitais e coleta de lixo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas