Luiz Fara Monteiro Piloto foge com helicóptero durante operação da ANAC

Piloto foge com helicóptero durante operação da ANAC

Aparelho realizava voos panorâmicos irregulares em Caldas Novas. Piloto era reincidente. Atividade é conhecida como TACA: transporte aéreo clandestino.

Fiscais da ANAC com apoio da PM/GO

Fiscais da ANAC com apoio da PM/GO

ANAC - Divulgação

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) realizou no último final de semana na cidade turística de Caldas Novas, Goiás, uma operação para apreender administrativamente um helicóptero que realizava atividades irregulares na cidade. A aeronave de matrícula PR-ETO, que oferecia passeios panorâmicos a turistas e moradores da região, não poderia realizar voos devido a uma suspensão administrativa por irregularidades anteriores. 

O helicóptero, alvo dessa operação, foi suspenso pela Agência em outubro deste ano por 180 dias, após realizar voos panorâmicos sem autorização reincidentemente. Mesmo com a aeronave suspensa, a equipe de inteligência da ANAC identificou operações do helicóptero em Caldas Novas – que é uma região de grande movimento turístico por suas águas termais – e preparou uma operação de fiscalização com apoio da Polícia Militar de Goiás.  

Além da proibição de realizar voos com o helicóptero, a Agência identificou que o piloto continuava comercializando voos panorâmicos, aumentando o risco à segurança aérea e aos passageiros. Fiscal da operação e servidor da ANAC, Pedro Sarkis, alertou sobre os riscos desse tipo de transporte. "O transporte aéreo irregular é um risco para os contratantes e para os moradores da região do voo. As aeronaves que realizam operações sem cumprir regras devem ser evitadas e denunciadas”, explicou.

A ANAC informou que durante todo o final de semana, os fiscais da ANAC tentaram rastrear o piloto e a aeronave. A abordagem aconteceu no domingo (21) pela manhã, quando o piloto se preparava para embarcar um grupo de passageiros. Ao identificar a equipe da Agência e os policiais militares, o piloto acionou a aeronave e fugiu do local.

O piloto receberá suspensão cautelar das habilitações e a ANAC abrirá novo processo contra a empresa registrada como operadora da aeronave. O descumprimento das regras poderá ensejar em punições administrativas e de operação aos envolvidos.

Popularmente conhecido como TACA, o transporte aéreo clandestino coloca em risco usuários e moradores da região. Os interessados em contratar um voo, seja ele panorâmico ou para transporte, devem buscar empresas e aeronaves credenciadas como táxi-aéreo e sob condições regulares.

Para identificar as empresas aptas para o serviço, os interessados podem consultar a lista de empresas de táxi-aéreo disponíveis no site da ANAC . Antes de contratar o serviço, o passageiro pode ainda consultar a regularidade da aeronave por meio do sistema RAB Digital ou pelo aplicativo Voe Seguro. Para isso, basta consultar a matrícula da aeronave. A matrícula é um conjunto de cinco letras estampadas na asa ou na cauda da aeronave.

Últimas