Estúdio News TV 3.0 será mais interessante, mais personalizada e mais imersiva para o telespectador

TV 3.0 será mais interessante, mais personalizada e mais imersiva para o telespectador

Estúdio News deste sábado mostra que o futuro das transmissões de televisão, que deve chegar às telas em 2025, pode ser interativo como streamings e impactante como cinemas

Débora Christina Muchaluat Saad e Sérgio Eduardo Di Santoro Bruzetti

Débora Christina Muchaluat Saad e Sérgio Eduardo Di Santoro Bruzetti

Divulgação

No Estúdio News deste sábado (12), membros do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) falam sobre a TV 3.0 e o que podemos esperar da futura geração do sistema de TV digital.

A Prof.ª Débora Christina Muchaluat Saad, da Universidade Federal Fluminense (UFF) afirma que o tema começou a ser trabalhado em 2020 e a expectativa é de que a tecnologia esteja disponível para o telespectador em 2025 com muitas inovações.

“Toda a interatividade que hoje a gente já está acostumada a utilizar no serviço de streaming com acesso pela internet estará disponível de uma maneira mais ampla no sistema da TV 3.0, mas a coisa não para por aí, a ideia é que a TV 3.0 traga uma experiência mais interessante, mais personalizada e mais imersiva para o telespectador”, diz Saad, que também é membro do módulo técnico do Fórum SBTVD.

As inovações prometem ir além dos recursos que temos hoje disponíveis nos serviços de Streaming, porém já disponíveis nos chamados cinemas 4D.

“A ideia dos efeitos sensoriais, isso também está sendo proposto como novas funcionalidades, é que o seu programa pode ser sincronizado com conteúdo audiovisual, efeitos de aroma, efeitos de calor ou frio, efeitos de vento, isso vai fazer com que o telespectador fique cada vez mais imerso na programação, complementa Débora.

O assessor de planejamento de engenharia da Record TV, Sérgio Eduardo Di Santoro Bruzetti, também coordenador do Fórum SBTVD reforça que não se trata de um devaneio e que o telespectador poderá desfrutar de toda essa evolução no conforto do seu lar, sem ter que se deslocar até o cinema, enfrentar filas de estacionamento e de bilheteria, por exemplo.

“Na última feira da SET foi feita uma demonstração dessa possibilidade de você também ter a parte de aromas sendo emitidos de acordo com a cena, a luminosidade, o colorido, enfim, vai ser uma experiência bastante rica e muito imersiva”, afirma Santoro.

Ambos acreditam que a nova tecnologia de transmissão esteja disponível primeiro nos grandes centros e que a implantação do novo sistema comece pelas grandes capitais, onde há um público maior para receber o conteúdo, e dizem que a mudança se assemelha à transição do sistema analógico para a primeira geração do sistema digital. 

“O pessoal talvez ache que isso seja exagerado, mas eu lembro que a cada mudança de tecnologia de celular você tem que trocar o seu aparelho também e isso vai ser uma similaridade, não há como ser diferente, o atual sistema não comporta todas essas inovações que estão sendo trabalhadas pelo Fórum”, explica o coordenador do Fórum.

E ressalta ainda, que o sistema será muito semelhante ao que é hoje uma tela de celular.
“Para o telespectador, para o usuário, ele terá como se fosse um app na tela e vai escolher entre esses apps que representam as emissoras. Quando ele escolher o aplicativo, ele vai acessar a programação e os recursos de interatividade e o aplicativo trará correspondente a cada emissora”, conclui Santoro.

O Estúdio News vai ao ar aos sábados, às 22h30. A Record News é sintonizada pelos canais de TV fechada 55 Vivo TV, 78 Net, 32 Oi TV, 14 Claro, 19 Sky e 134 GVT, além do canal 42.1 em São Paulo e demais canais da TV aberta em todo o Brasil.

Últimas