Rio de Janeiro Acusada da morte do marido, Flordelis chora ao ver a mãe no primeiro dia do julgamento

Acusada da morte do marido, Flordelis chora ao ver a mãe no primeiro dia do julgamento

Além da ex-parlamentar, sua filha biológica, dois filhos afetivos e uma neta também estão no banco dos réus

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Fernanda Macedo, da Record TV Rio

Advogados fizeram barreira para tentar impedir que imprensa fizesse imagens de Flordelis

Advogados fizeram barreira para tentar impedir que imprensa fizesse imagens de Flordelis

MAURICIO ALMEIDA/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 07.11.2022

A ex-deputada Flordelis, acusada de ter mandado matar o pastor Anderson do Carmo, chorou ao ver a mãe durante a leitura da denúncia no primeiro dia do julgamento, nesta segunda-feira (7), no Tribunal do Júri de Niterói, na região metropolitana do Rio.

No início da sessão, os advogados fizeram uma barreira na frente da ré para que a imprensa não fizesse imagens.

A primeira testemunha ouvida foi a delegada Bárbara Lomba, que iniciou a investigação na DH (Delegacia de Homicídios) de Niterói. Ela afirmou que o local do crime não foi preservado e que, durante a apuração do caso, notou muita contradição entre os depoimentos de Lucas Cezar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos, filhos afetivo e biológico da vítima, respectivamente. Ambos foram condenados pela morte do pastor.

Em seguida, o delegado Allan Duarte, que indiciou os envolvidos, prestou depoimento. Ao deixar o tribunal, Duarte disse, em entrevista à Record TV Rio, que o crime foi premeditado e teve motivação financeira. O delegado citou que as investigações indicaram que, antes de ser executado, Anderson foi alvo de tentativas de assassinato por envenenamento e ação de pistoleiro.

Além de Flordelis, a filha biológica da ex-parlamentar, Simone dos Santos Rodrigues, a neta Rayane dos Santos Oliveira e os filhos afetivos André Luiz de Oliveira e Marzy Teixeira da Silva estão no banco dos réus e respondem por envolvimento no crime.

Em função do número de casos a ser analisados, a tendência é que o julgamento não  termine na sessão de hoje e se estenda por mais um dia.

Últimas