Rio de Janeiro Anestesista preso gravou estupros com celular, diz policia do Rio

Anestesista preso gravou estupros com celular, diz policia do Rio

Imagens foram localizadas pela Polícia Federal durante investigação sobre pornografia infantil 

Agência Estado
Médico anestesista foi preso por abuso contra duas pacientes

Médico anestesista foi preso por abuso contra duas pacientes

PEDRO KIRILOS/ESTADÃO CONTEÚDO/16/01/2023

A Polícia Civil do Rio chegou ao médico anestesista colombiano Andres Carrillo, preso nesta segunda (16), por abuso sexual contra duas mulheres, a partir de provas que o profissional produziu contra si mesmo.

Conforme a investigação, imagens de estupros cometidos por ele - e gravados em seu telefone celular - foram localizadas pela Polícia Federal. O material estava em meio a 20 mil arquivos de pornografia infantil de Carrillo. A partir da descoberta, a Polícia Civil fluminense foi acionada.

Com base nos metadados das mídias - informações que incluem data da gravação e local, por exemplo -, os policiais identificaram as unidades hospitalares onde ocorreram os dois estupros. Depois, cruzaram informações para chegar às vítimas.

De acordo com a Polícia Civil, um dos casos aconteceu no Hospital Estadual dos Lagos - Nossa Senhora de Nazareth, em Saquarema. O outro no Complexo Hospitalar Universitário Clementino Fraga Filho. A unidade pertence à  UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Os crimes foram praticados em 2020 e 2021.

Até a publicação deste texto, o Estadão não havia localizado a defesa do médico.

Últimas