Rio de Janeiro Após dez anos, Ana Carolina e Seu Jorge relembram sucessos de parceria e estreiam em palcos cariocas

Após dez anos, Ana Carolina e Seu Jorge relembram sucessos de parceria e estreiam em palcos cariocas

Dupla fez versões ousadas de canções da MPB e apresentou a nova Mais Uma Vez

Após dez anos, Ana Carolina e Seu Jorge relembram sucessos de parceria e estreiam em palcos cariocas

Dupla mostrou entrosamento em estreia nos palcos cariocas

Dupla mostrou entrosamento em estreia nos palcos cariocas

Isabela Campos/Fotoarena/Folhapress

Dez anos depois do rápido encontro em São Paulo que rendeu um CD e um DVD de sucesso e não tirou suas vozes das rádios brasileiras, Ana Carolina e Seu Jorge decidiram se reencontrar e comemorar a parceria de sucesso que, em 2005, fez o registro se tornar exibição certa em bares e botecos. Nesta sexta-feira (8), a dupla estreou o seu novo show no tradicional Metropolitan, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, uma semana após o lançamento nacional em São Paulo.

Em 2005, o sucesso de Ana e Jorge foi acidental. Os dois não tinham a intenção de gravar o show, ou de fazer um registro. Agora, a retomada foi mais calculada. Em uma de suas redes sociais, Ana Carolina pediu sugestões de musicas para o setlist e recebeu em resposta alguns pontos altos do show da década passada: as clássicas É Isso Aí e Pra Rua Me Levar foram muito pedidas e mostraram que a sintonia da dupla continua forte.

O show começou às 23h, quando a casa já estava cheia, com um público repleto de casais, demonstrando ser de uma geração que acompanhou o crescimento da dupla no começo dos anos 2000. Os dois artistas entraram juntos no palco sem cenário, mas com um bom jogo de luzes. Empunhando suas guitarras, escolheram Tanta Saudade, de Chico Buarque, para mostrar que sentiram falta de juntar as vozes “possantes”, como o próprio Seu Jorge define o talento de Ana Carolina na música Comparsas.

Quando cumprimentou o público, o músico comentou que é um prazer trazer o show para o Rio, já que a cidade não recebeu a dupla em 2005. Já Ana Carolina saldou o público com uma retrospectiva bem-humorada dos últimos anos. “Aconteceu tanta coisa nesses dez anos, não é, Jorge? Levamos um 7 a 1 na Copa, tivemos a primeira mulher na presidência da República, um papa sul-americano e a Xuxa... a Xuxa foi para a Record.”

Em seguida, os artistas cantaram Pole Dance, música com pegada pop do último álbum de inéditas de Ana, e Mina do Condomínio, acompanhada de Chatterton, música de Seu Jorge presente no trabalho da dupla de 2005. Depois do início eclético, os artistas usaram da nostalgia para tocar os fãs e cantaram É Isso Aí, seguida do novo single Mais uma Vez.

Uma roda de samba que teve a presença do sambista Nene Brown foi um dos pontos altos do show. Sentados, os três transformaram o show em uma mesa de boteco com pandeiros e Ana Carolina arriscando passos de samba.

Do setlist, os destaques foram para as versões ousadas que a dupla deu para Talismã (de Michael Sullivan, imortalizada por Leandro e Leonardo), Um dia, Um Adeus (Guilherme Arantes), Coleção (Cassiano), Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa) e Mal Acostumado (do Araketu), que deixou Ana Carolina emocionada e um pouco “perdida” depois de cantar: “Me desconcentrei. Eu amo essa música”.

Repetindo uma estrutura parecida do show de 2005, Ana deixa Seu Jorge sozinho no palco e volta tocando pandeiro quando ele canta Carolina. Chegando ao fim, com quase duas horas de espetáculo, o bloco final foi recheado de músicas animadas. Com o hábito de encerrar seus shows com velhos hits como Elevador e Garganta, Ana repetiu a estratégia para fazer o público levantar das cadeiras nos minutos finais. O bis foi com Mais uma Vez e Beat da Beata, primeira parceira dos dois, que Ana Carolina lançou em 2003 no álbum Estampado. A música também encerrou o show de 2005.

Paloma de La Peña, estudante, foi ao show acompanhada da mãe, que também é fã da dupla. Para ela, Ana e Jorge estão mais entrosados e espera que lancem um DVD.

— Achei o show incrível, maravilhoso. Eu era bem nova quando eles lançaram o Ana e Jorge há dez anos e esperei esse tempo pelo show. Até brinquei com a minha mãe, quando eles cantaram Pra Rua Me Levar, eu já imaginava como seria. Então, foi a realização de um sonho. Acho também que eles estão com mais intimidade, estão mais maduros. O tempo ajudou. Eu acho que Garganta foi o ponto alto do show, sem dúvida.

Ana Carolina e Seu Jorge voltam a se apresentar no Metropolitan neste sábado (9) e seguem em turnê pelo país.

*Colaborou Victor Sena, do R7 Rio