Rio de Janeiro "As pessoas querem matar a saudade", diz Sérgio Marone sobre febre do filme Os Dez Mandamentos

"As pessoas querem matar a saudade", diz Sérgio Marone sobre febre do filme Os Dez Mandamentos

Ator que interpretou Ramsés na novela disse estar feliz com receptividade do filme

  • Rio de Janeiro | PH Rosa, do R7 Rio

Sergio Marone diz que filme "amplifica" emoções da novela

Sergio Marone diz que filme "amplifica" emoções da novela

Francisco Cepeda/AgNews

Com mais de 3,2 milhões de ingressos vendidos na pré-estreia, a adaptação cinematográfica da novela Os Dez Mandamentos já se tornou um dos maiores sucessos do cinema brasileiro. Disponível em 1.100 salas, fãs da novela já faziam fila nas portas dos cinemas desde o início da manhã desta quinta-feira (28), aguardando o início das primeiras sessões.

Mas não é só o público que está ansioso para a estreia do filme. O ator Sérgio Marone, que interpretou o Ramsés na novela da Rede Record, falou com o R7 sobre a expectativa para o lançamento.

— Espero que seja o filme mais visto do cinema brasileiro. Estou muito feliz com a receptividade do filme, principalmente com a disponibilidade das pessoas de enfrentar horas de fila para comprar esses ingressos.

Para o ator, o número expressivo da pré-venda de ingressos é um reflexo do sucesso da novela.

— A novela criou um elo emocional com as pessoas. As pessoas sentem saudades dos personagens, ficaram órfãs depois que a novela acabou. O sucesso de pré-venda é por causa disso, porque as pessoas querem matar a saudade, querem ver uma coisa que já sabem que é boa, de qualidade, que tem valores.

Marone já viu o resultado do filme na telona. Segundo ele, o filme intensifica as emoções passadas pela novela.

— A novela já foi muito cinematográfica. Já tinha uma luz de cinema, os efeitos especiais são cinematográficos. Então você ver tudo isso na telona do cinema é muito legal. E as emoções são emoções fortes, os personagens intensos, então tudo isso fica amplificado pela magia do cinema e pela grandiosidade do cinema.

Últimas