Rio de Janeiro Cedae interrompe captação do Guandu por presença de geosmina

Cedae interrompe captação do Guandu por presença de geosmina

De acordo com a empresa, interrupção foi feita na noite de quinta (18) e previsão era religar sistema ainda nesta manhã

Serviço foi interrompido na quinta-feira (18) e retomado na manhã de sexta-feira (19) no Rio

Serviço foi interrompido na quinta-feira (18) e retomado na manhã de sexta-feira (19) no Rio

Tomaz Silva/Agência Brasil

Após a interrupção do abastecimento de água, a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) concluiu a manobra preventiva no Rio Guandu para renovar a água da lagoa próxima à captação da estação de tratamento. 

De acordo com a empresa, a interrupção foi feita na noite de quinta-feira (18) e a previsão foi de religar o sistema ainda na manhã desta sexta-feira (19). A captação de água foi religada por volta das 7h45 desta sexta-feira (19) e com a paralisação, o abastecimento pode levar até 48 horas para ser normalizado.

A operação consiste em abrir as comportas da estação de tratamento para escoar a água e tentar reduzir a quantidade de algas e para a medida foi necessário interromper as atividades da estação de tratamento.

Além de manter todas as medidas para reduzir a concentração de geosmina, como a aplicação de carvão ativado, a companhia iniciará o bombeamento de água do Rio Guandu diretamente para a lagoa, aumentando a entrada de água e, consequentemente, sua renovação. A instalação da bomba está prevista para ser feita dentro de 10 dias.

A Cedae ainda acrescenta que a obra de proteção da tomada d’água, que deve solucionar em definitivo este problema, está em processo de elaboração de edital e vai ser publicada nos próximos 30 dias.

A empresa confirmou a presença de geosmina "mesmo em quantidades muito baixas" e detalhou três fatores que levam ao aumento de algas: água parada, presença de nutrientes e luz solar.  

*Sob supervisão de PH Rosa

Últimas