Rio de Janeiro Cláudio Castro toma posse e diz que seu governo encerra 'ciclo de abandono' no Rio de Janeiro


Cláudio Castro toma posse e diz que seu governo encerra 'ciclo de abandono' no Rio de Janeiro


Governador agradeceu apoio de vice e de instituições e fez homenagem a Pelé e às vítimas da Covid-19 no estado

Cláudio Castro tomou posse em cerimônia realizada na Alerj

Cláudio Castro tomou posse em cerimônia realizada na Alerj

Divulgação/Fotoalerj

Tomou posse na manhã deste domingo (1º) o governador reeleito Cláudio Castro (PL). A cerimônia foi realizada no Palácio Tiradentes, na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), e foi comandada pelo presidente da Casa, André Ceciliano (PT).

Durante seu discurso, Castro destacou os avanços que o estado teve desde agosto de 2020, quando o então governador Wilson Witzel foi afastado. Segundo ele, seu governo “consagra o encerramento do ciclo de abandono em que o estado estava atolado nos últimos anos”.

Logo no início de sua fala, o governador homenageou Pelé, a quem chamou de “ídolo do Brasil e do mundo”, e pediu um minuto de silêncio em respeito ao atleta e às mais de 75 mil vítimas da Covid-19 no Rio de Janeiro.

Castro destacou o crescimento econômico do Rio como um dos principais pontos da sua gestão, iniciada oficialmente em abril de 2021, após Witzel sofrer impeachment. Com o aumento de investimentos, o estado abriu mais de 200 mil empresas e restabeleceu postos de trabalho perdidos durante a pandemia.

Ele também falou sobre a concessão da Cedae, que considera a maior da história do Brasil. “Com a entrada das novas concessionárias de água e saneamento, foram arrecadados R$ 25 bilhões em outorgas, beneficiando 47 cidades e 13 milhões de habitantes. Após a concessão dos serviços, a Cedae encerra o ano com o incrível lucro de R$ 394 milhões mesmo após a concessão.”

Além de agradecer a parceria do Legislativo em aprovação de leis e projetos importantes para o estado e o trabalho das diversas secretarias, Castro também agradeceu ao seu vice-governador, Thiago Pampolha.

“Governaremos juntos, meu amigo, sonharemos juntos e realizaremos juntos”, disse ao encerrar seu discurso.

Últimas