Rio de Janeiro Comerciante é agredido por suposto guarda municipal em Magé (RJ)

Comerciante é agredido por suposto guarda municipal em Magé (RJ)

Segundo o filho da vítima, Jhonny Barreto da Silva, a Prefeitura de Magé estava realizando uma ação para desocupar uma área, onde ficam os camelôs

Agressão comerciante

Vídeo mostra comerciante sendo agredido por supostos agentes

Vídeo mostra comerciante sendo agredido por supostos agentes

Divulgação

Imagens de um vídeo que circula nas redes sociais mostram supostos agentes da guarda municipal agredindo um comerciante na manhã desta segunda-feira (12) no centro de Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense.

Leia Mais: Idoso morre após ser atropelado por ônibus na Tijuca, zona norte do Rio

Segundo o filho da vítima, Jhonny Barreto da Silva, a Prefeitura de Magé estava realizando uma ação para desocupar uma área, onde ficam os camelôs de ruas.

O comerciante Roni Gomes da Silva, de 47 anos, é proprietário de uma loja há mais de cinco anos próxima da região em que a prefeitura atuava.

Ainda segundo o filho, ele entrou em uma discussão com  "Renato", um suposto chefe da guarda municipal, sobre a desocupação dos camelôs. Durante a agressão, o comerciante teve o maxilar deslocado.

O vídeo, publicado por familiares, mostra o momento em que um dos supostos guardas dá um soco no rosto de Roni, que em seguida é algemado.

O comerciante foi levado para a 66° DP (Magé), onde prestou depoimento e registrou ocorrência da agressão. Em seguida, ele foi encaminhado para um posto de saúde da região. 

A Prefeitura de Magé informou que tem realizado ao longo das últimas semanas o trabalho de conscientização e orientação quanto a proibição do comércio e utilização irregular das vias públicas, calçadas e praças por comerciantes regulares ou não.

A prefeitura afirmou ainda que repudia qualquer tipo de violência e instaurou um procedimento interno para apurar eventuais desvios de processo por servidores públicos.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Ana Vinhas