Rio de Janeiro Comissão da Alerj cobra medidas da Supervia para conter atrasos

Comissão da Alerj cobra medidas da Supervia para conter atrasos

Ofício será enviado ao MP-RJ nesta quarta (1º); na segunda (30) e terça (31) transporte foi interrompido por conta de furto de cabos

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7 *, com Fábio Peixoto, da Record TV Rio

A Comissão de Transportes da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) envia nesta quarta-feira (1º) à presidência da Supervia, empresa responsável pela circulação de trens no Estado do Rio de Janeiro, um ofício que cobra as medidas que estão sendo adotadas para evitar que atrasos entre os intervalos das viagens se tornem constantes.

Movimentação de passageiros na estação de Madureira após interrupção do serviço

Movimentação de passageiros na estação de Madureira após interrupção do serviço

FAUSTO MAIA/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO/31.08.2021

O documento será encaminhado pelo presidente da comissão, o deputado Dionísio Lins (Progressita), que vai entrar também com uma representação junto à 4ª Promotoria de Tutela Coletiva de Defesa do Contribuinte, pedindo que seja feita uma investigação rigorosa sobre os constantes problemas diários apresentados pelos trens da Supervia. O parlamentar pede ainda que seja realizado um ajuste de conduta entre as partes envolvidas.

“Não é de hoje que estamos cobrando providências junto ao Poder Público para que esta concessionária atue de maneira no mínimo satisfatória junto à população. Sabemos que o roubo de cabos já virou uma rotina tanto na Supervia como no metrô. Mas não se pode ficar de braços cruzados diante do que vem ocorrendo. Estamos  cobrando as medidas que a empresa irá aplicar para pelo menos minimizar a situação. Por que eles não solicitam à Polícia Militar que ela atue de forma mais presente ao longo da via que margeia as estações? A empresa poderia também fazer um levantamento das áreas com maior incidência de furtos, além de intensificar a segurança de sua malha ferroviária não só com rondas, como também com o uso de drones durante o dia e à noite para tentar identificar essas quadrilhas” disse o presidente da comissão.

    Dionísio afirmou também que "não é justo nem decente" por parte de uma concessionária como a Supervia, detentora de um serviço tão importante, simplesmente não ter um plano de emergência para atuar em conjunto com as empresas de ônibus para transportarem passageiros nessas situações que contribua para reduzir as aglomerações nas estações, facilitando assim o deslocamento das pessoas".

Paralisação do serviço

Nas últimas segunda-feira (30) e terça-feira (31) a circulação de trens no ramal Japeri foi paralisada devido ao furto de cabos nas estações. Segundo a concessionária, foram furtados mais de 200 metros de cabos de sinalização nas regiões de Nova Iguaçu e Queimados, na Baixada Fluminense. Além disso, houve registro de vandalismo contra equipamentos que auxiliam o sistema de sinalização na estação de Edson Passos.

* Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas