Rio de Janeiro Coronavírus pode circular no RJ nas próximas semanas, diz secretário

Coronavírus pode circular no RJ nas próximas semanas, diz secretário

Edmar Santos disse que a internação compulsória deverá ser considerada em casos graves; Estado já monitora 13 pacientes

  • Rio de Janeiro | Ludmila Gomes, do R7*

RJ tem 13 pacientes contaminados no exterior

RJ tem 13 pacientes contaminados no exterior

Agência Brasil / Fernando Frazão / 05.03.2020

Subiu para 13 o número de casos confirmados do novo coronavírus no Estado do Rio de Janeiro nesta quarta-feira (11).

Até o momento, todos os pacientes foram contraminados no exterior e não há transmissão ativa do vírus no Estado.

No entanto, o secretário Estadual de Saúde, Edmar Santos, confirmou em entrevista à Record TV Rio que há possibilidade do coronavírus começar a circular no Estado nas próximas semanas.

‘’Estamos no nível zero do nosso plano de contingência, mas a expectativa do Ministério da Saúde é a de que, nas próximas semanas, o vírus comece a circular no nosso meio e a gente passe para o nível 1, ou eventualmente, até para o nível 2 de alerta’’, disse Edmar.

Para enfrentar a pandemia, a SES-RJ (Secretaria de Estado de Saúde) publicou no Diário Oficial de hoje um decreto que possibilita mais agilidade para compra de insumos, aluguel de equipamentos e construção de novos leitos.

Além disso, o governo estadual considera a possibilidade de autorizar internações compulsórias para pacientes que apresentem estado grave devido à contaminação pelo novo coronavírus. 

Leia mais: Fiocruz dá treinamento para diagnóstico do novo coronavírus

Por outro lado, o secretário explicou que, para casos mais brandos, o recomendável é o isolamento domiciliar. 

Leia mais: Coronavírus pode sobreviver no ar por pelo menos 30 minutos

Medidas de prevenção

A SES-RJ recomendou que a população mantenha medidas para prevenir a proliferação do vírus, sendo:

- Proteger nariz e boca ao espirrar ou tossir.
- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos.
- Lavar frequentemente as mãos, especialmente após espirrar ou tossir.
- Utilizar álcool em gel nas mãos.

Caso um paciente apresente febre ou sintomas respiratórios e tiver vindo de países com casos de coronavírus:

- Cobrir o rosto com máscara cirúrgica.
- Ir à uma unidade básica de saúde, hospital de emergência ou à UPA mais próxima.
- Seguir as orientações dos profissionais de saúde.
- Seguir as medidas de prevenção: lavar as mãos frequentemente, cobrir o rosto ao tossir e espirrar, não compartilhar objetos de uso pessoal, evitar locais de grande aglomeração e utilizar álcool em gel para as mãos.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas