Rio de Janeiro Covid-19: Prefeitura do Rio adotará medidas de restrição por região

Covid-19: Prefeitura do Rio adotará medidas de restrição por região

Na coletiva, Eduardo Paes afirmou que a vacinação no município pode começar no dia 25 de janeiro com doses da Coronavac

  • Rio de Janeiro | Mariene Lino, do R7*, com informações da Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou nesta sexta-feira (8) que as medidas de enfrentamento à covid-19 passarão a ser adotadas por região administrativa, a depender do nível de contaminação de cada uma delas.

Prefeitura vai  passar a divulgar boletim às sextas

Prefeitura vai passar a divulgar boletim às sextas

Divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro

A ação foi comunicada durante a divulgação do primeiro boletim epidemiológico da covid-19 na cidade. O documento foi elaborado pelo novo Coe covid-19 Rio (Centro de Operações de Emergências).

O levantamento mostra a distribuição dos casos da doença nas 33 regiões administrativas da cidade e divide os níveis de contaminação em moderado, alto e muito alto.

Eduardo Paes usou como exemplo o Campo de Santana, no centro do Rio. Com risco moderado, serão necessários distanciamento social de 2 metros e funcionamento em horário ampliado, mas sem limitação de público. Porém, com riscos alto e muito alto, o número de frequentadores ficará restrito à metade e um terço da capacidade.

Além disso, nas regiões com o maior nível de risco, não será permitida a entrada de pessoas dos grupos vulneráveis, como pessoas com mais de 60 anos.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, explicou que, caso necessário, medidas de prevenção mais rígidas poderão ser aplicadas em determinadas regiões para frear o contágio da covid-19.

"Se for necessário, teremos que tomar medidas mais duras para conter o avanço da doença. As áreas com índices mais graves terão restrições mais sérias", disse ele.

Boletim epidemiológico

Segundo o prefeito Eduardo Paes, o boletim será divulgado às sextas-feiras e é uma ferramenta importante para preparar o planejamento das ações de enfrentamento à covid-19 no município.

"Esse é o primeiro boletim que nós divulgamos e que vamos passar a divulgar toda sexta-feira. Vamos dividir os níveis de contaminação em moderado, alto e muito alto, de acordo com a RA (Região Administrativa) da cidade. A fotografia desse momento da cidade do Rio de Janeiro é a que está diante de vocês", disse Paes durante a coletiva de imprensa.

Além disso, foi explicado que, por meio de uma resolução conjunta da prefeitura com o governo do Estado, que será publicada na próxima semana, regras específicas deverão ser obedecidas em cada estágio de contaminação da doença.

Vacinação contra covid-19

Também na coletiva desta sexta, o prefeito afirmou que a prefeitura está pronta para iniciar o processo de vacinação no dia 25 de janeiro, junto com o Estado de São Paulo.

Eduardo Paes disse que serão compradas mais de 3,2 milhões de doses da Coronavac, imunizante produzido no Brasil pelo Instituto Butantan, em São Paulo, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

"Estamos caminhando para iniciar a vacinação até o final do mês. Serão 3,2 milhões de doses do Instituto Butantan. Estamos prontos para iniciar o processo de vacinação junto com São Paulo, na semana de 25 de janeiro. Mas isso pode ser antecipado pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização", afirmou Paes.

Desde o início da pandemia, a cidade do Rio de Janeiro já registrou mais de 170 mil casos da covid-19 e mais de 15 mil mortes pela doença. Além disso, a letalidade no município, segundo a prefeitura, é de 8,9%. Isso significa que, a cada 100 mil habitantes, 229,9 pessoas morrem em decorrência do novo coronavírus.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas