Rio de Janeiro Covid-19: Rio tem primeira morte de presidiário confirmada

Covid-19: Rio tem primeira morte de presidiário confirmada

Interno do Instituto Penal Cândido Mendes, no centro do Rio, faleceu na quarta-feira após complicações, mas resultado do exame só saiu na quinta

Rio registra primeira morte de presidiário

Rio registra primeira morte de presidiário

Reprodução/Google Street View

O Rio de Janeiro teve a primeira morte por covid-19 registrada em um presídio. De acordo com a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária), a morte foi registrada no Instituto Penal Cândido Mendes, no centro da capital fluminense.

Segundo a pasta, o interno de 73 anos foi o primeiro caso da doença confirmado no sistema penitenciário do Rio e faleceu na quarta-feira (15) após complicações em seu quadro de saúde. Ele estava internado no Pronto Socorro Geral Hamilton Agostinho, que fica no Complexo de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.

Em nota, a Seap informou que todos os apenados que tiveram contato com o preso estão isolados na unidade recebendo todos os atendimentos médicos. Qualquer saída da unidade só vai acontecer quando houver autorização da Subsecretaria de Tratamento Penitenciário e análise médica.

A capacidade da unidade penal é de 246, porém, de acordo com o número divulgado na quarta-feira (15), o número de internos era de 305.

Histórico

O interno que foi diagnosticado com a covid-19 necessitou de atendimento hospitalar e foi encaminhado para o pronto socorro no dia 9, quando apresentou quadro de hipertensão arterial. Ele foi medicado e liberado no mesmo dia.

Dois dias depois ele apresentou dor abdominal e foi novamente levado para a unidade médica, onde realizou exame de imagem e foi medicado. Em seguida, ele retornou ao Instituto Penal.

No dia 13, o apenado precisou de novo atendimento, apresentando sudorese fria e prostração. Após novo exame de imagem e laboratorial, ele teve uma piora no quadro de saúde durante a madrugada. No dia seguinte o quadro dele se agravou e o paciente foi colocado na respiração mecânica.

De acordo com a Seap, o material dele foi coletado para realização do teste para o coronavírus. Na quarta-feira (15), o óbito do interno foi confirmado às 10h40. O resultado do exame só confirmou a causa na noite de quinta-feira (16).

Últimas