Cremerj vai apurar morte de funkeira após procedimento cirúrgico

MC Atrevida morreu por infecção generalizada após fazer lipoescultura em clínica no bairro de Vila Isabel, na zona norte do Rio

Funkeira morreu após procedimento cirúrgico

Funkeira morreu após procedimento cirúrgico

Record TV Rio

O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) abriu uma sindicância nesta quinta-feira (30) para apurar a morte da funkeira Fernanda Rodrigues, de 44 anos, conhecida como MC Atrevida, após um procedimento cirúrgico em uma clínica em Vila Isabel, na zona norte do Rio.

Leia também: RJ: suspeito de estuprar a filha é preso após denúncia da mãe

A declaração de óbito apontou morte por infecção de generalizada causada por inflamação na pele. Segundo uma amiga, a cantora fez uma hidrolipo, que retirou gordura das costas para injetar nos glúteos.

Em nota, o Cremerj disse que o inquérito é sigiloso, mas ressaltou a importância da qualificação profissional para realização de procedimentos especializados.

A Polícia Civil também investiga o caso e deve ouvir nos próximos dias os responsáveis pela clínica, além dos médicos que socorreram a vítima. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira