Rio de Janeiro Criança de 6 anos é espancada no sul do Rio de Janeiro

Criança de 6 anos é espancada no sul do Rio de Janeiro

Agressões começaram na última sexta-feira (16); polícia prendeu mãe e companheira por lesão corporal

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*, com Record TV Rio

Caso está sendo investigado pela delegacia de Porto Real

Caso está sendo investigado pela delegacia de Porto Real

Reprodução/Record TV Rio

Uma menina de seis anos de idade foi espancada em Porto Real, no Sul Fluminense, nesta segunda-feira (19). Identificada como Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, ela foi socorrida pela mãe da madrasta para o Hospital Municipal São Francisco de Assis.

Segundo a Polícia Civil, a principal suspeita é que a a mãe e a companheira tenham feito as agressões.

Ao chegar na unidade de saúde, a equipe médica constatou maus tratos. A Guarda Municipal foi chamada e, por sua vez, acionou a Polícia Militar. Os policiais do 37º BPM (Resende) foram até a casa da menina, no bairro Jardim das Acácias. De acordo com o tenente Souza, em entrevista à Record TV Rio, a madrasta Brena Liane Barbosa Nunes, de 25 anos, tentou fugir, mas foi capturada e encaminhada para a 100ª DP (Porto Real).

Segundo informações da Polícia Civil, as agressões contra a menina vinham acontecendo desde a última sexta-feira (16) até a madrugada de ontem. A criança chegou a agonizar e, por isso, dona Rosângela, mãe de Brena, prestou socorro. O delegado ouviu testemunhas e teve acesso às informações do hospital onde Ketelen foi socorrida.

As lesões foram feitas com um fio de TV a cabo dobrado, além de socos e pontapés. O material foi apreendido para andamento das investigações. Em estado considerado gravíssimo, Ketelen foi transferida para o Hospital Neo Vida, em Resende, município vizinho de onde mora.

Contra a madrasta, já havia anotações por crimes de lesão corporal e dano ao patrimônio público. A mãe da menina, Gilmara de Oliveira Farias, 27, não prestou socorro. As duas foram detidas por Lesão Corporal e já foram encaminhadas para audiência de custódia, em Volta Redonda. O crime tem pena de 2 a 8 anos de reclusão.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas