Rio de Janeiro Detido em ação contra milícia segue na cadeia após prisão revogada

Detido em ação contra milícia segue na cadeia após prisão revogada

Dos 137 beneficiados pela decisão, ele é o único que permanece no Complexo de Gericinó por problemas judiciais no alvará de soltura, segundo a Seap

soltos milícia

Ao todo, 137 presos deixaram Complexo de Gericinó

Ao todo, 137 presos deixaram Complexo de Gericinó

CÉSAR SALES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO FUP20180426423 - 26.04.2018

Até esta quarta-feira (2), 136 detidos em uma operação de combate à milícia deixaram o Complexo Penitenciário de Gericinó, após ter a prisão revogada pela Justiça. 

Dos 137 beneficiados pela decisão do juiz Eduardo Marques Hablitschek, da 2ª Vara Criminal de Santa Cruz, um continua preso. Segundo a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária), o alvará de soltura foi prejudicado por questões judiciais.

Também já havia deixado a cadeia, no último dia 21, o artista circence Pablo Dias Bessa Martins. 

A Operação Medusa, que ocorreu no último dia 7, prendeu 159 homens durante uma festa em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro. No entanto, a Justiça decidiu pela manutenção da prisão preventiva de 21 deles por terem envolvimento com a milícia e antecedentes criminais.

Na ação, quatro suspeitos foram mortos em confronto com policiais civis. Além disso, foram apreendidos 24 armas, granadas, 76 carregadores, 1.265 munições de calibres variados, coletes balísticos, fardas, toucas ninjas e 11 veículos. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira