Rio de Janeiro Estagiária denuncia caso de assédio no Tribunal de Justiça do Rio

Estagiária denuncia caso de assédio no Tribunal de Justiça do Rio

Estudante de Direito Renata dos Santos, de 21 anos, disse que funcionário da 43ª Vara Criminal tentou beijá-la no pescoço dentro de gabinete

Assédio TJ

Jovem registrou caso na Delegacia de Atendimento à Mulher

Jovem registrou caso na Delegacia de Atendimento à Mulher

Record TV

Uma estagiária do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) denunciou, nesta sexta-feira (8), um caso de assédio ocorrido dentro do gabinete onde trabalha no centro do Rio de Janeiro. A estudante de Direito Renata dos Santos, de 21 anos, registrou uma ocorrência contra o funcionário da 43ª Vara Criminal na Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Jacarepaguá, na zona oeste.

Suspeito é detido em bloco da cantora Anitta no centro do Rio

Em entrevista à Record TV, a jovem, que trabalhava no TJ-RJ há 16 dias, revelou como tiveram início os abusos:

"Ele me pediu um abraço e, até então, não levei na maldade por ser meu local de trabalho. Mas, depois, foi querendo beijar meu pescoço, minha orelha e mexer no cabelo. Fiquei sem reação".

Após relatar o ocorrido ao pai, a família procurou o advogado Luiz Carlos Azenha, que disse considerar o caso grave por se tratar de um funcionário antigo do tribunal. O suspeito é analista jurídico, cargo de confiança diretamente ligado a um juiz.

A delegada Catarina Noble, que investiga o caso, disse que vai intimar o homem apontado pela vítima. Ele pode responder por importunação sexual, que tem pena de 1 a 5 anos de cadeia.

A estudante contou ainda que soube do caso de outra jovem que teria sido vítima do mesmo suspeito e afirmou que decidiu denunciar o abuso porque quer se sentir respeitada e segura em qualquer ambiente, inclusive, no trabalho.

Procurado pela Record TV, o TJ-RJ disse que o caso pode estar ainda em fase de inquérito policial, não existindo ação penal distribuída contra o suspeito, ou trata-se de processo em segredo de Justiça. Ao R7, a Corregedoria do tribunal informou que ainda não foi acionada pela delegacia, mas vai solicitar o registro de ocorrência para apurar eventual infração cometida por algum servidor.

Assista ao vídeo: