Rio de Janeiro Ex-secretário de Saúde do Rio vai depor antes de ser levado à prisão

Ex-secretário de Saúde do Rio vai depor antes de ser levado à prisão

Após depoimento, Edmar Santos irá fazer exame de corpo de delito no IML e seguirá para o BEP (Batalhão Especial Prisional)

  • Rio de Janeiro | Raíza Chaves, do R7*

Ex-secretario foi preso em casa na zona sul do Rio

Ex-secretario foi preso em casa na zona sul do Rio

ANDRE MELO ANDRADE/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-secretário de Saúde Edmar Santos foi encaminhado nesta sexta-feira (10) para Cidade da Polícia, na zona norte do Rio, onde vai prestar depoimento e, em seguida, irá fazer exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto). Depois, será levado ao BEP (Batalhão Especial Prisional), em Niterói, na Região Metropolitana.

O ex-secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro Edmar Santos foi preso na casa dele em Botafogo, na zona sul da cidade, por suspeita de corrupção em contratos emergenciais do governo do estado na área da saúde em meio à pandemia do novo coronavírus. A defesa de Edmar Santos afirmou que ainda não irá se pronunciar.

De acordo com a decisão da Justiça, a prisão de Edmar Santos, inclui a possibilidade, devido ao seu poder político, de "interferir negativamente na colheita de fontes materiais de prova."

Segundo as investigações, houve várias irregularidades no contrato com a organização social Iabas. O valor desse contrato é de R$ 835 milhões. A Iabas foi contratada para construir sete hospitais de campanha, mas, até agora, apenas dois foram entregues: o do Maracanã e o de São Gonçalo.

Nessa semana, a Justiça do Rio de Janeiro decretou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Edmar Santos. Na segunda-feira, o ex-secretário foi chamado pela segunda vez para prestar esclarecimentos à Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), mas ele se negou a falar.

Ao contrário da primeira vez, Santos compareceu à videoconferência, que aconteceu via internet, mas o ex-secretário explicou à comissão especial da Alerj que não responderia a nenhuma das perguntas.

Os deputados estaduais estão investigando as decisões tomadas pela pasta que era comandada por Edmar Santos. A saúde do estado do Rio está em crise e membros da equipe dele já haviam sido presos - todos suspeitos de fazerem parte de um esquema de superfaturamento e desvio de dinheiro público.

*Sob supervisão de Patrícia Junqueira

Últimas