Rio de Janeiro Flordelis: Filho, neta e mais 2 pessoas são alvos de novo inquérito

Flordelis: Filho, neta e mais 2 pessoas são alvos de novo inquérito

O advogado de acusação comunicou à Justiça que uma funcionária conseguiu fazer a carteirinha para visitação dos filhos da deputada na prisão

  • Rio de Janeiro | Raíza Chaves, do R7*

Flordelis é acusada de ter participado da morte de seu marido

Flordelis é acusada de ter participado da morte de seu marido

Fernando Frazão/Agência Brasil - 25.06.2019

A Polícia Civil e o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) abriram um novo inquérito sobre a morte de Anderson do Carmo onde Gerson, que é filho, e Lorraine, neta de Flordelis são investigados, além da cozinheira da casa Gilcineia Teixeira e Marcio Buba, motorista da parlamentar.

O advogado, assistente de acusação, Angelo Máximo, entrou com uma petição na Justiça para comunicar que uma funcionária de Flordelis conseguiu fazer a carteirinha para visitação dos filhos da deputada na prisão.

A parlamentar está proibida de ter contato com os filhos presos, mas de acordo com a denúncia, ela planejou que uma representante tivesse acesso aos suspeitos para levar e colher informações.

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal determinou o cancelamento da carteirinha e além disso, mandou ofício a todos os presídios onde os filhos da deputada estão presos para que só pessoas não investigadas possam visitá-los.

Em nota, a defesa de Flordelis disse que "desconhece estas ilações levantadas pelo assistente de acusação, baseados no ouvir dizer. Tal atitude causa tumulto processual," e acrescentou que eles esperam que "o juízo defira este pedido para ficar comprovado que tais afirmações são mentirosas e somente tem finalidade de tumultuar e causar sensacionalismo desnecessário,” finalizou.

Flordelis

A Justiça do Rio determinou na quinta-feira (1º), um prazo de 24h para que a defesa da deputada deferal Flordelis apresente números de telefone pessoal e funcional, além de informar um local para ela ser notificada da intimação do uso da tornozeleira eletrônica e reclusão noturna.

Na decisão, a juíza Nearis dos Santos Carvalho, da 3ª Vara Criminal de Niterói, diz que, caso isso não aconteça no período estipulado, oficiais da Justiça podem comparecer nos endereços da parlamentar, fora do horário de expediente, com auxílio de força policial se necessário.

A deputada é acusada de ter participado da morte de seu marido, pastor Anderson do Carmo, com a colaboração de outros filhos. O crime aconteceu quando ela e Anderson recém haviam chegado em casa, em Niterói, Região Metropolitana do RJ.

*Sob supervisão de PH Rosa

Últimas