Rio de Janeiro Guardas, PMs e bombeiros se envolvem em discussão no Arpoador

Guardas, PMs e bombeiros se envolvem em discussão no Arpoador

Militares se revoltaram ao saber que seus carros particulares estavam sendo rebocados por agentes de trânsito. Policial chega a sacar arma durante briga

Guardas, PMs e bombeiros se envolvem em discussão no Arpoador

Em vídeo, PM é flagrado sacando arma durante discussão

Em vídeo, PM é flagrado sacando arma durante discussão

Reprodução/RecordTV

Guardas municipais, policiais militares e bombeiros guarda-vidas em serviço se envolveram em uma confusão na praia do Arpoador, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, no fim da tarde de quinta-feira (11).

Pelo menos cinco carros particulares estavam estacionados em local irregular em frente ao Posto 7 e, por isso, seriam rebocados pela Guarda Municipal. 

Leia também: Briga entre PMs termina em morte

A dicussão começou com a chegada do caminhão-reboque. Nesse momento, bombeiros e policiais militares, que eram os donos dos veículos, foram ao local para tentar evitar que seus carros fossem multados e levados.

Guarda-vidas que trabalhavam em outros pontos da orla também chegaram para defender os colegas. Segundo testemunhas, um deles chegou a pegar o bastão de um dos guardas municipais e jogar no mar. Um PM também sacou uma arma e ameaçou os agentes de trânsito.

Os veículos foram multados, mas não chegaram a ser rebocados por causa da confusão.

Assista ao vídeo:

O caso terminou na delegacia do Leblon, onde agentes e testemunhas foram ouvidos. A Polícia Civil vai analisar imagens das câmeras de vigilância da praia e vídeos gravados por banhistas para saber, entre outras coisas, se houve excesso do policial que apontou a arma na direção dos guardas municipais.

A Guarda Municipal informou que a praia do Arpoador é uma área de proteção ambiental e somente carros oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros podem estacionar no local.

Vídeo: PM é morto por colega de farda durante briga de bar em Nova Iguaçu

Já o Corpo de Bombeiros afirma que um procedimento interno para avaliar a conduta dos envolvidos no caso será instaurado e gerenciado pela Corregedoria da corporação. “A instituição reforça que não compactua com comportamentos que fogem ao diálogo positivo da boa convivência”.

A Polícia Militar disse que um procedimento apuratório foi instaurado pelo comando do 23°BPM (Leblon) para analisar as imagens e as circunstâncias do fato.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

    Access log