Rio de Janeiro Homem é preso em flagrante por armazenar conteúdo de pedofilia

Homem é preso em flagrante por armazenar conteúdo de pedofilia

Suspeito era alvo da megaoperação da Polícia Federal para localizar arquivos de abuso sexual de crianças na internet em SP, RJ, MG E RS

  • Rio de Janeiro | Ana Beatriz Araújo, do R7*, com Rael Policarpo, da Record TV Rio

Enfermeiro foi preso em flagrante

Enfermeiro foi preso em flagrante

Reprodução/Record TV Rio

Um enfermeiro de 50 anos foi preso em flagrante, nesta quarta-feira (25) por armazenar conteúdo pornográfico infantil em Cachambi, na zona norte. O suspeito é o único alvo na megaoperação da Polícia Federal no Estado do Rio.

A ação foi realizada pela Polícia Civil de São Paulo e cumpre 219 mandados de busca e apreensão em quatro estados da federação: SP, RJ, MG e RS. Até o final desta publicação pelo menos 40 pessoas já haviam sido presas.

Em entrevista à Record TV Rio, a delegada Paula Mary afirmou que com o suspeito foram encontradas uma série de arquivos com cenas de violência sexual contra crianças. O material será encaminhado à perícia. 

RJ: Polícia prende 15 pessoas em operação contra tráfico de drogas

O objetivo da operação é localizar arquivos digitais compartilhados na Deepweb, conhecida como "internet invisível", onde ocorrem atividades ilegais, em que os suspeitos se valem do anonimato para exibir, acessar e compartilhar imagens de abuso sexual infantil, evitando a ação policial.

De acordo com a delegada Paula Mary, a investigação teve início no ano de 2018, quando, após um intenso monitoramento, um suspeito de pedofilia foi identificado arquitetando um plano de vender a sobrinha para pedófilos na Rússia.

O plano consistia em levar a criança para o parque da franquia da Disney, localizado no continente europeu e, de lá, deixar a criança com os traficantes da Rússia e alegar que ela teria se perdido no parque.

Com essa investigação, segundo a polícia, os trabalhos se intensificaram, seguindo os rastros pela Deepweb, revelando uma rede de pedófilos que produzem, vendem e compram vídeos de crianças em situações sexuais, inclusive com envolvimento em tráfico para exploração sexual.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas