Rio de Janeiro Homem morre após ser atingido na cabeça por botijão de gás no Rio

Homem morre após ser atingido na cabeça por botijão de gás no Rio

Vítima, que não teve a identidade revelada, andava em uma calçada, em Copacabana, quando objeto foi arremessado do último andar de um edifício

Botijão foi arremessado de altura de 40 m

Botijão foi arremessado de altura de 40 m

Reprodução/Record TV Rio

Um homem morreu na segunda-feira (12) após ser atingido na cabeça por um botijão de gás arremessado da cobertura de um prédio, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. Estima-se que o objeto tenha sido atirado a mais de 40 m de altura.

PM é morto durante perseguição a criminosos na avenida Brasil (RJ)

A vítima, que não teve a identidade revelada, era moradora do Pavão-Pavãozinho. Segundo moradores e comerciantes da região, o homem, que tem por volta de 50 anos, era vendedor de frutas e prestava serviços a lojas de Copacabana.

O suspeito responsável por arremessar o botijão de gás foi preso logo após o crime por agentes da Polícia Civil. De acordo com informações da Record TV Rio, o rapaz estaria sofrendo um surto no momento que jogou o objeto do alto do prédio.

O preso não era morador do edifício e estava no local realizando reparos no imóvel. Testemunhas afirmam que o suspeito arremessou outros objetos na calçada, como um equipamento eletrônico que destruiu o para-brisa de um carro estacionado na rua.

Campanha quer arrecadar recursos para formar roteiristas negras

A Polícia Civil também investigará o motivo de ter um botijão de gás no prédio, o que não é permitido por lei estadual. Os edifícios que possuam mais de cinco apartamentos são obrigados a possuir gás encanado. Segundo o porteiro do local, os apartamentos do imóvel utilizam fogões elétricos - sem necessidade de qualquer tipo de gás.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas