Rio de Janeiro "Imagem volta à mente sem parar", diz homem que ajudou em resgate

"Imagem volta à mente sem parar", diz homem que ajudou em resgate

Claudenir Vieira Morais, faxineiro de 34 anos, contou que retirou 3 pessoas dos escombros na comunidade da Muzema, zona oeste do Rio

Relato Muzema

Prédios desabaram na manhã desta sexta-feira (12)

Prédios desabaram na manhã desta sexta-feira (12)

José Lucena / Estadão Conteúdo / 12.04.2019

O faxineiro Claudenor Vieira de Morais, de 34 anos, contou à reportagem do R7 que ajudou nos resgates iniciais logo após o desabamento de dois prédios na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro, que deixou ao menos três mortos e dez feridos.

Leia mais: Mãe e filho são resgatados de desabamento de prédios no Rio

Morador de Rio das Pedras, comunidade que fica a cerca de 2 km da Muzema, Claudenor contou que, com mais outros quatro moradores, conseguiu ajudar três pessoas a saírem da parte superficial dos escombros. As pessoas resgatadas por eles, de acordo com o faxineiro, estavam peto de uma espécie de telhado.

Mesmo sem conhecer nenhum dos socorridos, Claudenir afirmou que a situação o deixou abalado.

Segundo ele, o local estava com uma nuvem de poeira e cheirava a gás, o que preocupou os bombeiros, que chegaram à comunidade cerca de 20 minutos após o desastre.

“Os bombeiros chegaram e disseram para sairmos de lá, porque também estávamos correndo risco. Mesmo assim, fizemos o que pudemos, não dava pra ficar de braços cruzados. As imagens dos destroços e das vítimas são horríveis, voltam à minha mente sem parar”, contou o faxineiro.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira