Rio de Janeiro Jovem é morto após vazar suposta relação sexual com miliciano no RJ

Jovem é morto após vazar suposta relação sexual com miliciano no RJ

Testemunha disse que Ecko, um dos criminosos mais procurado do Estado, teria se irritado ao descobrir que virou alvo de chacota entre traficantes

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV Rio

Jovem foi morto a tiros de fuzil

Jovem foi morto a tiros de fuzil

Reprodução / RecordTV

O miliciano mais procurado do Estado do Rio de Janeiro é investigado pelo assassinato de Lucas Pinho, de 24 anos. O motivo do crime teria sido o vazamento sobre uma suposta relação sexual entre os dois, segundo uma testemunha.

A execução ocorreu no último dia 3 na avenida Padre Guilherme Decaminada, em Santa Cruz, no zona oeste do Rio, área dominada pelo criminoso, conhecido como Ecko.

Na noite do crime, o rapaz voltava de uma festa promovida por Ecko em um carro de aplicativo acompanhado de duas jovens.

Em outro veículo, suspeitos encapuzados teriam ordenado que todos saíssem e deitassem no chão, mas apenas Lucas foi executado a tiros de fuzil. Em seguida, os bandidos fugiram com o dinheiro das vítimas.

Para a polícia, o roubo foi apenas uma encenação. De acordo com as investigações, o autor dos disparos foi o próprio miliciano.

Na DHC (Delegacia de Homicídios da Capital), uma testemunha, que seria garota de programa agenciada por Lucas, afirmou que a motivação do crime foi o vazamento de uma suposta relação sexual do rapaz com Ecko, há cerca de um mês.

Ainda segundo ela, a história se espalhou durante um evento com criminosos do Complexo do Alemão, zona norte do Rio, onde o jovem morava. Em troca de mensagens, traficantes fizeram chacota da situação, o que teria irritado o miliciano.

Assista ao vídeo:

Últimas