Rio de Janeiro Juíza assassinada tinha pedido medida protetiva contra o ex

Juíza assassinada tinha pedido medida protetiva contra o ex

Na tarde desta quinta (24), Viviane saiu de Niterói para deixar as três filhas com o pai, e foi morta pelo ex-marido no meio da rua

Cena foi gravada e testemunhada por pessoas que estavam na rua

Cena foi gravada e testemunhada por pessoas que estavam na rua

Reprodução

A juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, vítima de feminicídio nesta quinta-feira (24) após ser esfaqueada pelo ex-marido na frente das filhas, havia feito registro de lesão corporal e ameaça contra o autor do crime em setembro passado. As informações são da Record TV.

O corpo da juíza continua no IML (Instituto Médico Legal), e deve sair ainda na tarde desta sexta-feira (25) para ser cremado.

Na tarde de ontem, Viviane havia saído de Niterói, onde vivia, para deixar as três filhas com o pai, e foi morta por ele no meio da rua.

Viviane foi vítima de feminicídio na frente das filhas

Viviane foi vítima de feminicídio na frente das filhas

Reprodução

Ainda no local, do crime engenheiro Paulo José Arronenzi foi detido e algemado pelos policiais. Paulo responderá por feminicídio

Após o pedido de medida protetiva em setembro, Viviane Amaral chegou a ter escolta realizada pela polícia, mas meses depois pediu para retirá-la.

Últimas