Rio de Janeiro Justiça do Rio treina PMs que vão atuar na Patrulha Maria da Penha

Justiça do Rio treina PMs que vão atuar na Patrulha Maria da Penha

Militares foram capacitados para a aplicação do Formulário de Avaliação de Risco lançado pelo CNJ para prevenir crimes contra a mulher

  • Rio de Janeiro | Agência Brasil

Reprodução/TJ-RJ

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) está capacitando esta semana os policiais militares designados para integrar a Patrulha Maria da Penha.

Mulher sofre abuso sexual de Policial Militar no Rio

A juíza Adriana Ramos de Mello, do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar da capital, orientou, na última quinta-feira (1º), os PMs sobre a aplicação do Formulário de Avaliação de Risco, lançado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para prevenir e enfrentar crimes contra a mulher, como os casos de feminicídio.

O formulário reúne 25 perguntas de múltipla escolha. O objetivo é delinear o perfil do agressor, além de traçar contextos e apontar fatores de risco vivenciados pela vítima.

Entre as perguntas a serem respondidas estão se o companheiro fez ameaças, se já houve agressões e de que forma, se houve ato sexual forçado, se a vítima foi impedida de ver ou falar com parentes e de ter acesso à conta bancária.

Na próxima segunda-feira (5), o TJ-RJ e a Polícia Militar lançam a Patrulha Maria da Penha, para atender exclusivamente a casos de violência contra a mulher.

Nova lei reduz em 39% consumo de sacolas em supermercados no Rio

Ao todo, 40 patrulhas vão circular pelas áreas com maior incidência de medidas protetivas para as vítimas. Só neste ano, mais de 12 mil casos foram registrados no Rio de Janeiro.

Últimas