Rio de Janeiro Justiça nega pedido de Witzel para voltar ao Palácio Laranjeiras no Rio

Justiça nega pedido de Witzel para voltar ao Palácio Laranjeiras no Rio

De acordo com o desição, Witzel deve ter um suporte de segurança sem necessariamente o uso e ocupação do Palácio das Laranjeiras

  • Rio de Janeiro | Raíza Chaves, do R7*

Wilson Witzel é investigado por crime de responsabilidade no Rio

Wilson Witzel é investigado por crime de responsabilidade no Rio

Fernando Frazão/Agência Brasil - 12.11.2019

A Justiça negou, nesta sexta-feira (13), o pedido da defesa do governador afastado Wilson Witzel para voltar ao Palácio Laranjeiras, na zona sul do Rio.

De acordo com a decisão do desembargador Cláudio de Mello Tavares, o governador afastado deixou o local rapidamente, apesar do prazo de dez dias estabelecido pelo Tribunal Especial Misto que julga o pedido de impeachment.

Veja também: Witzel entra na Justiça para retornar ao Palácio Laranjeiras

Ainda de acordo com o documento, Witzel deve ter um suporte de segurança sem necessariamente o uso e ocupação do Palácio das Laranjeiras.

Wilson Witzel deixou o local após decisão no último dia 5, do Tribunal Especial Misto.

O governador afastado Wilson Witzel entrou com um recurso no Órgão Especial do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio) para retornar ao Palácio Laranjeiras.

Em nota, o governador afastado disse que retornar ou não ao imóvel utilizado como residência oficial não tem o menor significado para sua vida ou de sua família.

Ainda acrescentou que a decisão de morar no Palácio Laranjeiras obedeceu, desde o início, a uma recomendação expressa da segurança. No entanto, entende ser importante o prosseguimento da ação no Tribunal de Justiça

"Nunca me importei com palácios. Minha luta, que esbarrou em interesses poderosos, foi para melhorar a vida das pessoas, começando pela melhoria da  segurança pública", afirma Witzel.

Wilson Witzel é investigado por crime de responsabilidade e foi afastado do cargo, no dia 28 de agosto, por determinação do STJ (Superior Tribunal de Justiça) por suspeita de desvio na área da Saúde.

*Sob supervisão de PH Rosa

Últimas