Rio de Janeiro Maior serpentário da América Latina é inaugurado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Maior serpentário da América Latina é inaugurado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Com 700 m², o espaço é dedicado ao estudo e à conservação de serpentes, com capacidade para abrigar cerca de 500 espécimes

  • Rio de Janeiro | Thalyta Neme*, do R7

Serpentes sem veneno ajudam no treinamento de profissionais

Serpentes sem veneno ajudam no treinamento de profissionais

Edson Taciano/Instituto Vital Brazil

O maior serpentário da América Latina foi inaugurado nesta segunda-feira (27), em Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O espaço é dedicado ao estudo e à conservação de serpentes.

O CEHP (Centro de Herpetologia e Pesquisa Vital Brazil) tem como foco as espécies brasileiras e de importância médica — aquela cuja peçonha é usada na produção de soros antiofídicos.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

O serpentário tem capacidade para abrigar cerca de 500 espécimes em uma área total de 700 m². São 21 salas, entre berçários de serpentes, ambulatório, biobanco (estudo genético das espécies), farmácia, estúdio fotográfico e laboratório.

Cerca de cem cobras nativas, como jararaca, cascavel, surucucu, coral-verdadeira, jararacuçu e surucucu-pico-de-jaca, fazem parte do acervo. Há também serpentes sem veneno para treinamento de profissionais e ações educativas.

* Sob a supervisão de Bruna Oliveira

Últimas