Rio de Janeiro Manifestantes protestam após enterro de grávida morta no Rio

Manifestantes protestam após enterro de grávida morta no Rio

Morte de Kathlen Romeu é investigada pela Polícia Civil. Laudo apontou que ela foi baleada com tiro de fuzil

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV

Manifestantes pediram justiça pela morte da grávida Kathlen Romeu, de 24 anos, no Lins, na zona norte do Rio, após o enterro do corpo da jovem no Cemitério do Catumbi, na região central do Rio, nesta quarta-feira (9).

Manifestantes pediram justiça por morte de jovem

Manifestantes pediram justiça por morte de jovem

ALLAN CARVALHO/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO/09.06.2021

Na cerimônia de despedida, amigos e familiares estavam revoltados com a morte precoce da jovem durante um tiroteio no Complexo do Lins, na terça-feira (8). 

Parentes disseram que Kathlen vivia o melhor momento da vida com a realização do sonho de ser mãe. 

"Ela estudou, deu entrada no apartamento próprio dela, estava grávida, iria construir uma família, e foi ceifada a vida dela em minutos. Isso é inadmissível no Brasil", disse o amigo Rodrigo Diniz à Record TV Rio.

A designer de interiores trabalhava em uma loja e havia se mudado recentemente da comunidade por receio da violência. Ela foi baleada durante uma visita a avó.

A morte de Kathlen é investigada pela Divisão de Homicídios da Capital. Cinco dos 12 policiais envolvidos na ação prestaram depoimento na delegacia. As armas também foram recolhidas para perícia. 

Um laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontou que a jovem morreu após ter sido atingida por um tiro de fuzil no tórax. 

Últimas