Rio de Janeiro Mestre de jiu-jitsu é executado com 14 tiros na porta de casa no Rio

Mestre de jiu-jitsu é executado com 14 tiros na porta de casa no Rio

Rodrigo Cafú é filho do ex-jogador do Fluminense Cafuringa e também trabalhava como segurança do grupo de pagode Sorriso Maroto

Rodrigo era segurança do grupo Sorriso Maroto

Rodrigo era segurança do grupo Sorriso Maroto

Reprodução/Record TV

O mestre de jiu-jitsu Rodrigo Tawil Fernandes, conhecido como Rodrigo Cafú, de 43 anos, foi morto com 14 tiros em frente à casa onde morava, na rua Agenor Miranda, no Andaraí, zona norte do Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira (8).

Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que dois homens armados em uma moto atacaram Rodrigo. A dupla chega a ir embora, mas volta para fazer novos disparos à queima roupa contra o mestre de jiu-jitsu, que morreu no local antes mesmo da chegada do socorro. Os atiradores fugiram sem levar nada.

Leia também: Professor de jiu-jitsu morre durante assalto na Ilha do Governador

Conhecido na região da Grande Tijuca como mestre Cafú, apelido herdado do pai, o jogador Cafuringa, que foi ponta direita do Fluminense nos anos 1960, Rodrigo também trabalhava como vigilante e segurança do grupo de pagode Sorriso Maroto.

A morte causou comoção: após a perícia, o corpo de Rodrigo foi removido pela Defesa Civil sob aplausos de amigos e familiares.

De acordo com a Polícia Civil, a motivação para o assassinato ainda é desconhecida. Familiares, amigos e vizinhos do mestre de jiu-jitsu vão prestar depoimento na Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, nesta sexta-feira (8). Imagens das câmeras de segurança da rua estão sendo analisadas. 

Rodrigo era casado e não deixa filhos. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas