Rio de Janeiro Moradores protestam em delegacia por sumiço de crianças

Moradores protestam em delegacia por sumiço de crianças

Na ação, as pessoas bloquearam a rua e incendiaram ônibus. Manifestantes cobram avanço nas investigações

  • Rio de Janeiro | Ana Beatriz Araújo, do R7*, com Record TV Rio

Moradores fazem um protesto na porta da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, nesta terça-feira (12), para cobrar o avanço das investigações sobre o desaparecimentos de três crianças em Belford Roxo. 

Manifestantes fecharam a rua onde fica a DHBF e incendiaram ônibus

Manifestantes fecharam a rua onde fica a DHBF e incendiaram ônibus

Reprodução/Record TV Rio

Os manifestantes fecharam a rua e atearam fogo em um ônibus que estava no local. Cestos de lixo também foram usados como barricadas. 

Nesta segunda-feira (11), os moradores agrediram e acusaram um homem de 35 anos de participação no desaparecimento de três crianças em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Eles acreditam que o homem assassinou os jovens. Após ser agredido, ele foi amarrado e deixado na porta da Delegacia de Belford Roxo.

Na delegacia, o homem disse não ter relação com o caso, versão confirmada pela polícia. Além disso, os agentes afirmaram que ele não possui antecedentes criminais

No entanto, os pais das crianças entregaram um celular com mensagens que poderiam incriminá-lo. O homem negou ser o dono do aparelho e afirmou não saber de nada.

Em entrevista à Record TV Rio, a avó dos primos Lucas e Alexandre disse que o enteado do homem agredido deu duas versões para o desaparecimento. 

Crianças estão desaparecidas há 16 dias

Crianças estão desaparecidas há 16 dias

Reprodução/Record TV Rio

A primeira dá conta que os garotos teriam sido mortos na feira de Areia Branca. A segunda versão diz que os jovens foram mortos em um ritual. A polícia investiga ambas as hipóteses.

Desaparecimento das crianças

Os primos Alexandre, de 10 anos, Lucas, de 8, e o colega Fernando Henrique, de 11, desapareceram há cerca de 16 dias após saírem para brincar próximo de casa, no mesmo bairro. Desde então, foram feitas diversas buscas pelos meninos, sem sucesso.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas