Rio de Janeiro MP-RJ pede prisão preventiva de entregador que matou porteiro

MP-RJ pede prisão preventiva de entregador que matou porteiro

Marcus Vinícius Gomes Correia acertou Jorge Ferreira com sete golpes de barra de ferro na cabeça

Resumindo a Notícia

  • MPRJ pede prisão preventiva de Marcus Correia pela morte do porteiro Jorge Ferreira
  • Marcus acertou Jorge na cabeça com sete golpes de barra de ferro
  • Jorge entrou em coma mas não resistiu aos ferimentos; ele morreu no último dia 3
  • Em nota, o TJ-RJ explica que ainda não há decisão determinante sobre a prisão do motoboy

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) pediu à Justiça a prisão preventiva de Marcos Vinícius Gomes Correia, entregador de aplicativo que agrediu o porteiro Jorge Ferreira no dia 29 de março, após discussão em um condomínio na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Jorge ficou seis dias internado e morreu após levar sete golpes de barra de ferro na cabeça.

A porteiro morreu por traumatismo craniano

A porteiro morreu por traumatismo craniano

Reprodução

Em nota o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) explica que o processo está nas mãos do juiz e em fase de conclusão. Ainda não há decisão determinando ou não a prisão de Marcus Vinícius Gomes Correia.

O entregador segue em liberdade aguardando a decisão da Justiça.

O caso

O porteiro Jorge impediu o entregador Marcus Vinícius de utilizar a entrada principal do prédio em que trabalhava. O entregador chutou o porteiro e na sequência Jorge buscou uma barra de ferro para tentar golpear o motoboy. Marcus tomou o objeto para si e atacou o porteiro com sete golpes na cabeça. 

Jorge foi levado para o Hospital Miguel Couto, na zona sul do Rio, e depois de entrar em coma, não resistiu aos ferimentos. Ele faleceu no última dia 3. O porteiro trabalhava no prédio da Barra da Tijuca há 15 anos. O laudo de perícia aponta como causa da morte “traumatismo de crânio com hemorragia das meninges; ação contundente”.

* Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas