Caso Henry

Rio de Janeiro MP-RJ recorre contra decisão da Justiça de conceder prisão domiciliar à mãe de Henry

MP-RJ recorre contra decisão da Justiça de conceder prisão domiciliar à mãe de Henry

Monique Medeiros saiu da prisão na última terça (5) e, no dia seguinte, colocou a tornozeleira eletrônica

  • Rio de Janeiro | Bruna Oliveira, do R7, com Fernanda Macedo, da Record TV Rio

Monique colocou tornozeleira eletrônica

Monique colocou tornozeleira eletrônica

JOSE LUCENA/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO/08.04.2022

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com recurso nesta sexta-feira (8) contra a decisão da Justiça de conceder prisão domiciliar para Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, morto em março do ano passado. 

O promotor Fabio Vieira dos Santos pediu a revogação da medida por entender que não há embasamento legal e destacou que a liberdade dos acusados da morte da criança pode abalar a ordem pública. 

No documento, Fabio Vieira dos Santos questionou ainda se é possível separar a responsabilidade do casal, Monique Medeiros e Jairo Souza Santos, padrasto do menino. Eles foram presos há um ano durante as investigações sobre a tortura e morte do menino de 4 anos.

"Se a conduta ativa de Jairo em agredir a criança ao ponto de lhe retirar a vida é de uma gravidade e reprovabilidade extrema, não menos grave é a conduta de Monique, mãe da vítima, a qual em atitude passiva e já sabedora de agressões pretéritas e da situação de perigo, omite-se em dar a segurança necessária ao menino, não se importando com a sorte que este teria em um ambiente hostil", escreveu no texto.

Na última terça (5), a juíza Elizabeth Machado Louro, do 2° Tribunal do Júri, responsável pelo caso, substituiu a prisão preventiva de Monique por monitoramento eletrônico. Por outro lado, a magistrada manteve a prisão de Jairo.

Entre as justificativas para Monique deixar a cadeia, a juíza citou as ameaças que Monique Medeiros relatou ter sofrido na prisão. A mesma decisão proibe a mãe de Henry de ter contato com terceiros, exceto familiares e advogados.

Últimas