Rio de Janeiro Nuvem que se forma no mesmo lugar em Arraial do Cabo atrai pesquisadores e vira lenda

Nuvem que se forma no mesmo lugar em Arraial do Cabo atrai pesquisadores e vira lenda

Fenômeno atrapalhou a instalação de um farol no ponto mais do município na época do Império

Nuvem do Farol, em Arraial do Cabo, virou tema de monografia

Nuvem do Farol, em Arraial do Cabo, virou tema de monografia

Arquivo pessoal/Fabiana Lima

Conhecida por aparecer sempre no mesmo lugar, a Nuvem do Farol tem atraído a atenção de pesquisadores e também guarda muitas histórias no município de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro.

O tema virou objeto de estudo da monografia da jornalista Fabiana Lima, de 36 anos, que investigou o fenômeno em seu trabalho de pós-graduação em Clima e Energia pela Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense), em parceria com a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Farol foi desativado por causa da nuvem

Farol foi desativado por causa da nuvem

Arquivo pessoal/Fabiana Lima

Inicialmente, Fabiana buscou conhecer a Nuvem do Farol com base em uma pesquisa da Marinha para um trabalho jornalístico. Ao se interessar pela história, ela descobriu que a persistência da formação da nuvem no ponto mais alto de Arraial do Cabo inutilizou um farol construído no século 19 para auxiliar a navegação na região.

"É um tesouro da história do Brasil. É uma lenda urbana. Uma nuvem que atrapalhou os planos do Império, que teve de se render a ela."

No entanto, a jornalista conta que os habitantes da cidade já sabiam que aquela não era uma boa ideia. "Na época do Império, os nativos já falavam para não construir [o farol] ali porque tinha 'neve'. Até hoje, os cabistas chamam névoa de neve", disse.

Ainda segundo a pesquisadora, a construção avançou durante três anos e foi realizada por escravizados, que subiram e desceram incontáveis vezes os 390 metros de altitude que separam a superfície da ilha do cume da montanha. Após a conclusão, em 1836, o Império percebeu que a nuvem encobria o feixo de luz. E somente 25 anos mais tarde um novo lugar foi escolhido para instalar outro farol.

Por que a nuvem se forma sempre no mesmo lugar?

undefined

A orientadora do trabalho, a chefe do Laboratório de Meteorologia da Uenf, Maria Gertrudes Justi, explica que a presença da montanha, associada a condições meteorológicas, leva à formação do fenômeno naquele ponto específico. 

"A superfície do mar fria, como daquela região, faz com que a atmosfera fique muito estável. O ar frio só sobe porque é obrigado, por causa de um obstáculo topográfico. Então, ali há condições ideais para a formação da nuvem. Vamos dizer assim: aquele obstáculo é do tamanho certo para o ar que sobe atingir a temperatura que vai provocar a condensação, numa altura que é mais ou menos abaixo do topo daquele obstáculo. Então, fica se formando constantemente naquele lugar. É muito mais do que observamos em outros lugares."

Nuvem orográfica também se forma na Pedra da Gávea

Nuvem orográfica também se forma na Pedra da Gávea

Arquivo pessoal/Fabiana Lima

A especialista acrescentou que o fenômeno não é raro e também pode ser visto na Pedra da Gávea, na zona sul do Rio.

"O ar vem do mar em direção ao continente e sobe. Se tiver condições de umidade suficiente, certa estabilidade na atmosfera, acaba formando aquele 'chapeuzinho' no topo da Pedra da Gávea. Não é tão constante quanto lá [em Arraial]. A gente chama esse tipo de formação de nuvem de origem orográfica, pela topografia do lugar."

Radar meteorológico

Fabiana visitou a ilha em área de reserva da Marinha em 2019

Fabiana visitou a ilha em área de reserva da Marinha em 2019

Arquivo pessoal/Fabiana Lima

Em 2019, Fabiana se aventurou a conhecer a ilha em que fica o farol desativado, por falta de visibilidade, em uma área de reserva da Marinha.

Segundo ela, a íngreme subida até o topo durou quatro horas. Apesar do sacrifício, a pesquisadora afirma que a experiência valeu a pena: "É lindo lá em cima, você vê aquela imensidão de azul, é uma visão extraordinária".

Outra curiosidade sobre a Nuvem do Farol é que ela funciona como um radar meteorológico natural. Fabiana conta que a população de Arraial sabe que a presença da nuvem indica tempo ensolarado.

Esse é um dos aspectos que motivam novas investigações em torno do fenômeno em Arraial do Cabo. Pesquisadores da UFRJ pretendem, nos próximos estudos, estabelecer os modelos numéricos para traçar o padrão de temperatura e pressão, entre outros critérios, que contribuem para a formação da Nuvem do Farol.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas