Rio de Janeiro Petrópolis: "Achava que ninguém tinha sobrevivido", diz funcionário de fábrica que desabou 

Petrópolis: "Achava que ninguém tinha sobrevivido", diz funcionário de fábrica que desabou 

Chão cedeu durante temporal do último dia 15 de fevereiro; equipe de reportagem da Record TV Rio conversou com sobreviventes

  • Rio de Janeiro | Gabriel Pieroni, do R7*, com Anabel Reis, da Record TV Rio

Uma fábrica desabou em Petrópolis, na última terça-feira (15), durante o forte temporal que vitimou 198 pessoas. Em um vídeo que circula pelas redes sociais, é possível ver o momento em que o solo cedeu.

A empresa, uma estamparia, fica localizada no Morro da Oficina, uma das áreas mais atingidas pelo temporal. Segundo relatos de testemunhas, três funcionários estavam trabalhando no momento e todos sobreviveram.

Uma equipe de reportagem da Record TV Rio conversou com os sobreviventes.

"Eu achava que ninguém tinha sobrevivido. No momento que tudo caiu, aqui começou tudo a tremer. A gente não conseguia sair. Tivemos que sair pela janela e fazer uma corrente para ir para o outro lado", disse Vinicius Catuaba.

A dona da fábrica e mãe de Vinicius acompanhou todo o caso pelas câmeras de segurança do estabelecimento. A empresária relatou os momentos de tensão.

"Quando os vi correndo com a água um pouco abaixo do joelho, fiquei desesperada querendo vir para cá. Eu começei a passar mal e desliguei as câmeras. Quando eu liguei de novo, já estava tudo escuro. Foi muito díficil", relatou a empresária. 

Chão cedeu durante temporal em Petrópolis

Chão cedeu durante temporal em Petrópolis

Reprodução/Record TV Rio

Após conseguirem sair do escombros, os funcionários precisaram atravessar uma forte correnteza que passava pela rua.

"Quando a gente conseguiu sair, tava tendo um rio vindo pela rua. Uma correnteza muito forte. Mais uma vez fomos em equipe e atravessamos juntos para a casa do vizinho", afirmou Marcelo Ribeiro, um dos sobreviventes do desabamento.

A tragédia da semana passada já superou a mais trágica da história do município da serra fluminense, em 1988, quando houve o registro de 171 mortos, segundo dados da Defesa Civil municipal.

Buscas

Ao menos 15 estados enviaram reforços para as equipes de resgate em Petrópolis. Há um efetivo de 600 militares e 44 cães farejadores.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas