Rio de Janeiro Policial envolvido com Maria UPP tem prisão administrativa decretada

Policial envolvido com Maria UPP tem prisão administrativa decretada

O PM será submetido ao conselho disciplinar da corporação; pena máxima é a expulsão

Policial envolvido com Maria UPP tem prisão administrativa decretada

Foi preso administrativamente nesta quinta-feira (17) o primeiro policial militar envolvido com a moça que ficou conhecida como Maria UPP. Ele não é lotado em nenhuma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), mas foi reconhecido nas filmagens e fotos que vazaram na internet.

O PM será submetido ao conselho disciplinar da corporação e, se pegar a punição máxima, poderá ser expulso da corporação. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora investiga quem foram os outros envolvidos nas orgias praticadas nas bases da PM.

Em um vídeo após uma relação sexual dentro de uma UPP, um dos policiais sugere que ele e os outros façam um rateio para bancar um silicone para a moça, que respondeu que não queria. Em seguida, ela disse que tem vontade de apagar a tatuagem com a inscrição UPP que possui abaixo do umbigo. Os PMs pediram para ela manter a sigla no corpo. Maria UPP comentou ainda sobre a performance dos policiais com quem havia feito sexo naquele dia. Assista ao vídeo: