Rio de Janeiro Prefeito de Niterói é alvo de operação da PF e do MPF

Prefeito de Niterói é alvo de operação da PF e do MPF

Agentes apreenderam veleiro avaliado em R$ 300 mil em Angra dos Reis durante ação que apura irregularidades na contratação de obras 

Rodrigo Neves é alvo de operação

Rodrigo Neves é alvo de operação

Reprodução / Facebook

A Polícia Federal apreendeu nesta quarta-feira (16) um veleiro avaliado em R$ 300 mil durante a Operação Transoceânica que investiga irregularidades na contratação de obras pela Prefeitura de Niterói.

A embarcação foi apreendida na propriedade de um dos investigados em Angra dos Reis, na Costa Verde, segundo a PF.  

Os agentes cumpriram 13 mandados de busca e apreensão na operação que tem como alvo pessoas físicas e empresas, incluindo o prefeito Rodrigo Neves, de acordo com o MPF (Ministério Público Federal). Todos tiveram quebra de sigilo telefônico, bancário e fiscal.

Segundo a PF, a ação conjunta com o MPF investiga os contratos de engenharia da obra do BRT Transoceânica Charitas – Engenho do Mato e contratos de publicidade efetuados pela prefeitura.

Além das fraudes e corrupção nos contratos de publicidade e do BRT, o órgão também investiga pagamentos indevidos a conselheiros do TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado Do Rio de Janeiro).

Em nota, Rodrigo Neves informou “que nunca foi ouvido ou convidado a prestar qualquer esclarecimento sobre quaisquer assuntos. Nenhum objeto de valor foi apreendido, apenas o seu celular pessoal. O prefeito não possui automóvel ou  objeto de valor. Apesar de não ter informações sobre do que se trata a ação, o prefeito esclarece que a Transoceânica e o túnel Charitas Cafubá foram concluídos há tempos, cumprindo o planejamento da obra e melhoraram muito a qualidade de vida dos niteroienses. A prestação de contas detalhada foi concluída e aprovada por órgãos de acompanhamento e financiamento, como a Caixa Econômica Federal”.

A nota diz ainda que o prefeito e sua defesa tomarão todas as medidas para identificar a origem desta perseguição política e responsabilizar os seus autores.

Últimas