Rio de Janeiro Preso casal que fingia representar instituições para recolher doação

Preso casal que fingia representar instituições para recolher doação

De acordo com a polícia, quadrilha de estelionatários fez mais de 300 vítimas em ao menos três anos de atuação em várias regiões do Rio

Casal foi preso em flagrante pela delegacia de Icaraí

Casal foi preso em flagrante pela delegacia de Icaraí

Divulgação/Polícia Civil

Um casal suspeito de integrar uma das maiores quadrilhas de estelionato do Estado do Rio foi preso na última terça-feira (9). Um dos suspeitos foi detido em flagrante quando recolhia uma doação em dinheiro, fingindo ser para uma instituição de caridade.

De acordo com as investigações, a dupla fez 301 vítimas em três anos de atuação em diversas regiões do Rio. Eles fingiam ser representantes de instituições para arrecadar quantias entre R$ 50 e R$ 200 de pessoas solidárias, que acreditavam estar ajudando crianças, idosos ou até pacientes com câncer.

Segundo a delegada Rayssa Celles, da 77ª DP (Icaraí), a mulher presa na ação comandava o esquema:

“Ela fazia ligação para as pessoas, agendava a ida para o recolhedor, que pegava o dinheiro nas residências”, disse a delegada.

 A polícia descobriu que o homem recebia 15% dos valores, enquanto a mulher repassava 40% das doações para os demais integrantes da quadrilha.

Leia mais: Operação na Serrinha (RJ) tem suspeito preso e mulher detida

A representante de uma das instituições usadas no golpe, Nathalia de Jesus, afirmou que o esquema prejudica o trabalho filantrópico. 

“Fico muito triste, porque eles pegavam dinheiro que podia ser de uma criança. Eles estão pegando dinheiro sem a gente saber". 

Os suspeitos vão responder por organização criminosa e estelionato. Outros dois integrantes da quadrilha também já foram identificados.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira