Rio de Janeiro Preso vai para solitária após tentar fugir vestido de mulher no RJ

Preso vai para solitária após tentar fugir vestido de mulher no RJ

Traficante conhecido como Baixinho ficará 10 dias em isolamento. Suspeita de facilitar fuga, filha foi atuada e perdeu carteira de visitante da Seap

Após tentar fugir vestido de mulher, preso é colocado em solitária

Homem tentou fugir usando máscara de silicone e roupas femininas

Homem tentou fugir usando máscara de silicone e roupas femininas

Divulgação

Após tentar escapar do presídio Bangu 3 vestido de mulher, o traficante conhecido como Baixinho foi transferido para a unidade de segurança máxima Bangu 1, também no Complexo de Gericinó, zona oeste do Rio de Janeiro, onde vai ficar dez dias em isolamento.

Veja também: RJ: motorista de aplicativo sofre emboscada em tentativa de assalto

Além desta medida preventiva, a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) também solicitou um regime disciplinar diferenciado para o preso, que vai ser analisado pela Justiça.

A pasta ainda instaurou uma ocorrência administrativa para apurar os fatos junto à Corregedoria da Seap.

Ao R7, o advogado criminalista Patrick Berriel disse que a pena do fugitivo não será alterada. 

"Não existe aumento de pena, tendo em vista que ele já é condenado, o que poderia ocorrer se ele fosse preso provisório. No caso de confirmação da fuga na esfera administrativa, o condenado perde os dias trabalhados, pode ficar no isolamento e não ter a concessão do livramento condicional", explicou Berriel. 

Preso desde 2013, Baixinho usou uma máscara de silicone, roupas femininas e uma peruca para tentar passar pelos agentes no fim do período de visitas no sábado (3). 

Os inspetores penitenciários perceberam movimentação e impediram que o homem escapasse. A filha do traficante e mais sete visitantes foram levados à delegacia por suspeita de facilitação na tentativa de fuga.

De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado na 35ªDP (Campo Grande) como fuga de pessoa presa ou submetida a medida de segurança do código penal. O preso assinou um termo circunstanciado. Já a filha foi autuada e perdeu a carteira de visitante. 

Assista ao vídeo:  

*Sob supervisão de Bruna Oliveira