Rio de Janeiro Procon interdita 10 lojas em operação contra GNV irregular no Rio

Procon interdita 10 lojas em operação contra GNV irregular no Rio

Em conjunto com a Delegacia de Defraudações, ação fiscalizou 15 lojas que instalavam combustível em veículos ilicitamente

  • Rio de Janeiro | Mariene Lino, do R7*, com informações de Quézia Oliveira, da Record TV Rio

O Procon-RJ (Procon Estadual do Rio de Janeiro) interditou nesta quinta-feira (28) 10 estabelecimentos em uma operação conjunta com a DDEF (Delegacia de Defraudações da Polícia Civil) para investigar estabelecimentos que fazem instalações irregulares de GNV (Gás Natural Veicular). 

Procon-RJ fiscalizou 15 lojas em quatro regiões

Procon-RJ fiscalizou 15 lojas em quatro regiões

Reprodução/Procon-RJ

Segundo o Procon, os agentes fiscalizaram 15 lojas em Campo Grande e Guaratiba, na zona oeste da capital, e em Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Leia também: Rio: Polícia realiza operação contra seguranças da milícia de Ecko

Em entrevista à Record TV Rio, a delegada Daniela Rebelo explicou que os estabelecimentos não têm registro no Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Por isso, utilizavam registros de empresas autorizadas ou falsificavam a documentação.

Ela também disse que a investigação começou por conta de denúncias de clientes insatisfeitos com o serviço e de donos de empresas autorizadas no ramo. De acordo com o Procon, as informações eram de que parte dos cilindros usados nas instalações seriam de veículos furtados, roubados ou incendiados, sem nota fiscal de origem ou inspeção de segurança.

A delegada informou que os responsáveis pelos locais interditados serão autuados por crime contra a ordem econômica e relação de consumo. Todos foram encaminhados à delegacia para análise da possibilidade de flagrante ou instauração de inquérito policial.

O presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, reforçou que o consumidor deve procurar empresas com CRI (Certificado de Registro de Instalador) no Inmetro para que tenham acesso a um serviço seguro.

Leia também: Rio tem 30 dias para assumir gestão da linha Amarela

“O consumidor que contrata a instalação do kit gás em seu veículo ou compra um veículo já com GNV deve consultar se a empresa é credenciada no Inmetro para realizar a instalação. Escolher um instalador registrado que possua CRI ativo e sempre solicitar a nota fiscal do serviço e dos componentes do GNV. Se possível, preferir cilindros novos, pois assim o comprador terá certeza que o equipamento foi aprovado em testes e não apresentam riscos de terem sofrido sinistros”, disse Cássio Coelho.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas