Rio de Janeiro Profissionais de beleza vão receber aulas sobre violência doméstica

Profissionais de beleza vão receber aulas sobre violência doméstica

TJ-RJ criou programa para conscientizar cabeleireiros, depiladores, manicures, maquiadores e técnicos em estética que possam alertar mulheres sobre o assunto

Profissionais de beleza vão receber aulas sobre violência doméstica

 
Em agosto completa 13 anos da criação da Lei Maria da Penha

Em agosto completa 13 anos da criação da Lei Maria da Penha

Fernando Frazão/Agência Brasil

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) lançou nesta segunda-feira (12) um projeto junto ao Senac-RJ (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e ao Sesc-RJ (Serviço Social do Comércio) para a conscientização de profissionais da beleza sobre violência doméstica durante o curso de formação técnica.

PM do Rio de Janeiro lança patrulha contra violência doméstica

Batizado de “Mãos Empenhadas Conta a Violência”, o programa tem como objetivo criar uma rede de pessoas que consiga debater e “desenvolver competências de escuta e apoio nas temáticas relativas à violência de gênero”.

Com o início do projeto, na próxima segunda-feira (19), o TJ-RJ acredita que cerca de 2.000 alunos do Senac dos cursos de cabeleireiro, depilação, manicure, maquiador e técnico em estética sejam capacitados para atuar no que o órgão chama de “rede de enfrentamento” à violência doméstica até 2020.

A ação do TJ-RJ também contará com o apoio do Sesc, que complementará a formação com curtas, debates, esquetes teatrais, oficinas e palestras sobre temas como feminícidio.

Em nota, o TJ-RJ informou que esta foi uma ação desenvolvida pelo TJ-MS (Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul) que será replicado no Estado a partir deste mês, quando a Lei Maria da Penha completa 13 anos.

Assista: Após viver escondido por 7 anos no RJ, homem é preso por violência doméstica

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa